Moscou ganhará proteção contra ataques provenientes da órbita

País irá contar com sistema de proteção em anel, multifuncional e escalonado por zonas Foto: RIA Nóvosti

País irá contar com sistema de proteção em anel, multifuncional e escalonado por zonas Foto: RIA Nóvosti

Este ano, o Ministério da Defesa vai continuar a reforçar o agrupamento dos mais avançados recursos de defesa aérea e antimíssil da capital. Em 2015, estrutura será complementada por mais um regimento, equipado com o sistema de mísseis antiaéreos S-400 Triumf.

Até 2020, doze regimentos armados com o sistema de mísseis de defesa antiaérea S-400 deverão estar protegendo Moscou e a região industrial Central da Rússia. Eles vão proteger de ataques aéreos, de forma segura, os órgãos do governo, os quartéis-generais militares e os maiores complexos industriais e científicos do país.

Segundo os militares, esse escudo antimíssil e antiaéreo será composto por quatro setores dispostos de acordo com altitudes e distâncias. Cada um irá cobrir a suas unidades de defesa contra mísseis balísticos.

Em dezembro do ano passado, o Regimento “Triumfov”, baseado nos arredores da cidade de Podolsk, já entrou em plantão de combate. Alguns meses antes, a unidade de mísseis de defesa aérea passou a executar a mesma tarefa em torno de Zvenigorod. Outros regimentos análogos foram posicionados perto de Elektrostal e Dmítrov, também próximas à capital.

Toda essa estrutura está sendo baseada no sistema S-400 Triumf, que, durante os testes no polígono de Kapustin Iar, foi capaz de derrubar um alvo sobrevoando a uma velocidade de 2.800 metros por segundo e atingir objetos a uma altitude superior a 50 quilômetros.

Nenhum análogo estrangeiro é capaz de trabalhar simultaneamente com 12 alvos, em um raio de 400 quilômetros de distância das posições em que eles se encontram e, em perspectiva, abater alvos no espaço próximo.

Somado a isso, planeja-se implantar nos arredores de Moscou mais de duas dezenas de avançados sistemas antiaéreos de mísseis e canhões Pantsir-S1. Eles não só estarão em plantão de combate com as divisões S-400, mas também darão cobertura a elas.

Especialistas afirmam que, estando armada com os sistemas S-300, S-400, Pantsir e, no futuro, com o S-500, a defesa aeroespacial do país irá contar com um sistema de proteção à cidade em anel, multifuncional e escalonado por zonas. Assim, o sistema será capaz de proteger Moscou até mesmo de ataques a partir da órbita.

 

Publicado originalmente pela Rossiyskaya Gazeta

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.