Defesa deverá ter novos aviões de carga

A nova aeronave militar de transporte será totalmente nacional em sua composição Foto: TASS

A nova aeronave militar de transporte será totalmente nacional em sua composição Foto: TASS

Projeto do avião de carga IL-112V foi iniciado há dez anos, mas em 2010 foi congelado devido a déficits orçamentários.

Um contrato governamental para o fornecimento do avião de carga IL-112V para o Ministério da Defesa deverá ser assinado em 2015. Enquanto a produção em série não começar, a pasta encomendou um par de protótipos da aeronave. Eles serão construídos na fábrica de aviões de Voronej. O novo cargueiro leve deverá substituir o An-26.

O projeto foi iniciado há dez anos, mas em 2010 foi congelado devido a déficits orçamentários, e o cliente suspendeu o financiamento dos trabalhos de desenvolvimento, que eram dirigidos pelo Complexo de Aviação de Iliushin (no inicio com recursos próprios).

 

A aeronave leve militar de transporte operacional e tático Il-112V é projetada para o transporte e desembarque de carga, armas, equipamentos e pessoas em quaisquer condições geográficas, climáticas e meteorológicas, a uma distância de 5.000 quilômetros. Segundo cálculos, ele deverá superar seus análogos em autonomia e velocidade de voo, pela possibilidade de aterrissar em pistas curtas e locais não preparados. Poderá ser usada para o transporte comercial.

A corporação unida, que inclui também a fábrica de aviões de Voronej, também não conseguiu obter a soma necessária. Na fábrica já foram construídos a plataforma e a base de ferramentas para montar quatro aparelhos experimentais. No planejamento de longo prazo foi também incluída a produção anual de 18 aparelhos desse tipo. Agora, é preciso verificar a documentação do projeto e reiniciar a produção.

Dentro do contrato governamental assinado no final de dezembro para a realização dos trabalhos experimentais de desenvolvimento, a fábrica de Voronej construirá dois aviões: um deles será destinado aos testes estáticos e de fadiga e o outro aos voos. Os aviões poderão ser retirados das plataformas de construção já em 2016, de acordo com o plano, e no mesmo ano poderão realizar o primeiro voo.

A nova aeronave militar de transporte será totalmente nacional em sua composição. Na cooperação estarão envolvidas cerca de 30 empresas russas e mais de 50 fornecedores de peças. Em particular, a Aviakompozit, de Novosibirsk, produzirá um cone da parte frontal e a Associação de Produção Aérea de Kazan produzirá a asa e uma série de peças. Além disso, o projeto envolverá a participação da Aviastar-SP, de Ulianovsk, e a Aviagregat, de Samara.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.