Yota está projetando celular com bateria solar

Modelo mais recenta da Yota apresenta duas telas Foto: Artiom Geodakian / TASS

Modelo mais recenta da Yota apresenta duas telas Foto: Artiom Geodakian / TASS

A fabricante russa Yota Devices, que já produz smartphones com tela dupla, apresentará o protótipo do terceiro YotaPhone ao mercado dentro de 18 meses, segundo informações do diretor-geral da empresa, Vladislav Martinov.

“Estamos desenvolvendo ativamente o YotaPhone 3. Ainda não posso citar a data exata do lançamento. Ele pode aparecer no mercado em um ano, ou em um ano e meio”, disse Martinov ao jornal “Izvéstia”.

O ciclo de vida de cada modelo, segundo o diretor da empresa, é de aproximadamente 12 meses, dependendo dos fornecedores de componentes dos aparelhos. “Não há necessidade de mudar o modelo a cada 12 meses. Tudo depende do preço, funcionalidade, aplicativos e outros fatores”, acrescentou.

Segundo ele, a Yota Devices está desenvolvendo novos elementos para o próximo modelo, incluindo uma câmera virtual para garantir o contato visual dos interlocutores.

“Temos que avaliar o quanto o consumidor está disposto a pagar por tal opção. Se o usuário estiver pronto para pagar um adicional de US$ 3 ou US$ 5, e se a maioria dos usuários, mais de 40%, forem aproveitar essa opção, há motivo para investir nisso. Caso contrário, vamos ter que esperar”, disse Martinov.

A empresa também está considerando uma bateria movida a energia solar. De acordo com o projeto inicial, uma película amarela seria acrescentada à tela, o que poderia prejudicar a qualidade da imagem. “A questão é se os usuários estão dispostos a sacrificar a qualidade da imagem na tela. Provavelmente não”, disse.

Outra ideia é usar o vidro das telas como caixas de som. “Ainda estamos analisando o quanto o som vai melhorar e se estamos dispostos a pagar um extra de US$ 10 a US$ 15 por isso. Temos trabalhado nessa tecnologia nos últimos dois anos.”

 

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.