Até 2020, Forças Armadas devem ser atendidas 100% por sistema Glonass

Os modernos aparelhos de navegação por satélite estão equipados com sistemas que permitem visualizar mapas topográficos eletrônicos na tela do receptor de navegação Foto: Serguêi Pivovarov/RIA Nóvosti

Os modernos aparelhos de navegação por satélite estão equipados com sistemas que permitem visualizar mapas topográficos eletrônicos na tela do receptor de navegação Foto: Serguêi Pivovarov/RIA Nóvosti

Serguêi Kozlov, chefe do Departamento Topográfico Militar do Estado-Maior, anunciou planos de equipar o exército com modernos recursos de posicionamento. Kozlov disse que há dois o exército e a marinha foram supridos com esses equipamentos em 50% de suas necessidades, que atualmente essa proporção subiu para 85% e que daqui a cinco anos a demanda dos militares por esses equipamentos deverá ser totalmente atendida.

As Forças Armadas russas não podem existir sem a utilização de dados dos satélites do sistema Glonass e dos equipamentos terrestres correspondentes. Em toda a parte é indispensável a navegação espacial realizada permanentemente, durante 24 horas, para a preparação de dados para os disparos, das campanhas navais ou do trabalho dos batedores e dos artilheiros. O posicionamento "orbital" é empregado nas Forças Armadas há muito tempo, mas o equipamento utilizado para esse procedimento está sendo aperfeiçoado constantemente. Isso permite aos militares ter informações mais precisas sobre a sua localização e o deslocamento do inimigo.

Neste outono, os artilheiros do Distrito Militar do Sul começaram a realizar disparos de combate de obuseiros autopropulsados MSTA-S usando o moderno equipamento de navegação Grot. Os dados da vinculação topográfica coletados com a ajuda dos satélites do Glonass agora são transmitidos para o sistema automatizado de controle de orientação e de disparo, o que imediatamente aumentou a precisão da determinação da distância até o alvo. Destruí-lo tornou-se mais fácil e mais rápido.

Possuindo o tamanho de um rádio de carro, o Grot fica embutido no painel de instrumentos do obuseiro autopropulsado. Ele permite determinar a localização do veículo de combate com uma precisão de até um metro.

Além disso, a utilização do equipamento Grot minimiza a vulnerabilidade das posições dos obuseiros autopropulsados. Antes, para executar as tarefas de combate, todos os obuseiros autopropulsados pertencentes a uma unidade deveriam ser colocados lado a lado, pois os cálculos eram feitos para um veículo, enquanto o restante aproveitava os dados obtidos. Agora, os obuseiros MSTA-S podem efetuar disparos contra um alvo a uma distância de até 20 quilômetros um do outro.

Orientação individual

Naturalmente, a tecnologia "inteligente" também é produzida levando-se em conta o usuário militar individual. Em particular, os receptores de navegação portáteis destinados ao exército.

“Os modernos aparelhos de navegação por satélite estão equipados com sistemas que permitem visualizar mapas topográficos eletrônicos na tela do receptor de navegação Orion ou Grot-M", declarou o contra-almirante Kozlov.

Na opinião de Kozlov, em um futuro próximo, cada soldado terá um navegador individual. Particularmente, eles já foram incluídos no novo equipamento de batalha Ratnik (Guerreiro). Que vantagens isso traz ao soldado, ao comandante e à unidade militar como um todo?

Por exemplo, um receptor portátil Orion gerencia mapas do terreno, imagens e matrizes com base em mapas do Atlas. Além disso, ele permite criar mapas do ambiente operacional e trocar dados com outros sistemas. O Orion exibe o modelo do terreno em formato 3D. Com a sua ajuda é possível criar rotas utilizando a rede rodoviária e se conectar ao mapa de recursos da internet.

Mas o principal é que esse receptor determina automaticamente as coordenadas atuais do lugar, do tempo e da velocidade de deslocamento do usuário por meio dos sinais dos sistemas de navegação por satélite Glonass e GPS em qualquer lugar do globo terrestre, a qualquer momento e independentemente das condições meteorológicas.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.