Três vacinas para HIV russas entram em fase de testes

Nos últimos 25 anos, a Rússia observou um aumento dramático no número de infecções Foto: Getty Images/Fotobank

Nos últimos 25 anos, a Rússia observou um aumento dramático no número de infecções Foto: Getty Images/Fotobank

Fórmulas “não são piores nem melhores” que análogos ocidentais

Três vacinas para o vírus HIV desenvolvidas na Rússia estão passando por ensaios clínicos, informou o chefe para Prevenção e Combate à Aids da Prefeitura de Moscou, Aleksêi Mazus, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (1). Data marcou o Dia Mundial de Combate à Aids.

“Foram desenvolvidas três vacinas que não são piores nem melhores do que as soluções ocidentais. Elas acabaram de entrar na fase de ensaios clínicos, e esse trabalho não vai tomar apenas um ano. Trata-se de um esforço bastante caro”, disse Mazus.

Três grandes centros de ciência e pesquisa de São Petersburgo, Novosibirsk e Moscou são responsáveis pelo desenvolvimento das vacinas. “Temos conseguido manter jovens cientistas no país, que receberam investimento não só para desenvolver a vacina, mas a ciência em torno dela”, acrescentou Mazus.

Estima-se que 35 milhões de pessoas vivem com HIV/Aids no mundo. Nos últimos 25 anos, a Rússia observou um aumento dramático no número de infecções. O número de pacientes soropositivos aumentou de 30 em 1988, quando os primeiros casos foram registrados no país, para mais de 860 mil pessoas infectadas em 2014.

 

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.