Propulsor de novo bombardeiro estratégico é mantido em segredo

Possível candidato ao PAK DA,  propulsor NK-32 está presente nos bombardeiros TU-160 Foto: wikipedia.org

Possível candidato ao PAK DA, propulsor NK-32 está presente nos bombardeiros TU-160 Foto: wikipedia.org

Enquanto os ensaios terrestres do primeiro protótipo do motor para o novo bombardeiro russo demonstram ótimos resultados, o seu fabricante, OAO Kuznetsov, prefere não revelar o modelo que fará parte do próximo avião do futuro. Rumores que circulam desde agosto sugerem que o novo veículo ganhará o propulsor NK-32, atualmente presente nos bombardeiros TU-160.

O processo de criação de motores para o novo bombardeiro estratégico PAK DA foi iniciado em 2011, logo após a finalização e aprovação do projeto de elaboração das suas principais características que, por sua vez, serviu como base para o protótipo do seu propulsor.

O motor perspectivo AL-41F com a tração de 20.000 quilos capaz de diminuir os gastos com o combustível e unificar a nomenclatura das unidades de propulsão foi a primeira opção considerada pelos engenheiros. No entanto, precisou ser substituído por um projeto desenvolvido do zero.

Durante a feira OboronExpo-2014, em Jukovski, um representante da OAO Kuznetsov afirmou que “o motor NK-32, um componente do avião TU-160, será modificado e melhorado para cumprir as exigências do novo PAK DA, assim como será baseado no mecanismo padronizado de produção de gás da segunda geração”. Mesmo assim, a informação não foi confirmada.

Até agora, as declarações referentes ao andamento do processo de desenvolvimento do novo PAK DA feitas à mídia pelos representantes de diversos órgãos públicos não permitiam formar uma única opinião sobre o futuro visual e características do bombardeiro em questão.

O NK-32 é um motor turbojato com três eixos e uma câmara de pós-combustão. Hoje em dia, o modelo é um dos maiores e mais potentes propulsores aéreos mundo afora

A hipótese de Anatóli Jikharev, ex-comandante das Forças Aéreas de Longo Alcance, de que o novo veículo seria uma futura substituição para “os bombardeiros tanto estratégicos e portadores de mísseis, quanto de longo alcance” deixou os especialistas, ainda em 2009, no aguardo de um avião supersônico de velocidade variável.

As expectativas foram posteriormente reforçadas pelo vice-premiê russo Dmítri Rogôzin que, em fevereiro de 2013, deixou claro que “as Forças Armadas nacionais não têm demanda por um avião subsônico nem por um análogo do modelo americano B2. Portanto, a velocidade do novo bombardeiro russo a ser lançado no final desta década deverá superar a do Mach 5”.

Na opinião de Anton Lavrov, especialista independente da área militar, um bombardeiro estratégico pouco visível de alcance máximo e capacidade de atingir os alvos remotos do inimigo a partir do seu próprio território, tal como o PAK DA, se beneficiaria mais da velocidade subsônica.

Segredo revelado

Até pouco tempo, o nome da empresa responsável pela realização do projeto do PAK DA permanecia um mistério. Apesar de o Departamento de Engenharia Tupolev ter sido responsável pelo seu desenvolvimento desde 2009, os comunicados publicados em diversos meios de comunicação sugeriram a possível transferência do projeto para a Sukhôi.

No entanto, durante a recente feira militar realizada na cidade chinesa de Zhuhai, Mikhail Pogosian, presidente da corporação United Aircraft Corporation, acabou com todas as dúvidas, declarando o Departamento de Engenharia Tupolev como o principal responsável pelo projeto.

No início deste ano, os trabalhos de criação do PAK DA passaram para uma nova etapa: finalmente foram definidos os nomes de seus desenvolvedores e determinadas as suas principais características técnicas, tais como o peso aproximado de 125 toneladas (das quais 30 toneladas serão dedicadas aos armamentos), alcance de 12.500 quilômetros e velocidade subsônica.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.