Voo de teste confirma potencial de venda do novo modelo Il-76

Testes com primeiro veículo da série Il-76MD-90A foram concluídos em outubro passado Foto: Press Photo

Testes com primeiro veículo da série Il-76MD-90A foram concluídos em outubro passado Foto: Press Photo

Um dos modelos mais marcantes no desenvolvimento da aviação russa, o Il-76 serviu de base para o surgimento de um novo avião universal destinado tanto ao uso civil, quanto militar. Testes com veículo, que será fabricado em uma fábrica na cidade de Uliánovsk, indicam chance de comercialização nos mercados nacional e internacional.

Desde o seu primeiro voo realizado em 1971, o avião Il-76 tem sido uma ferramenta segura para a execução das tarefas da aviação russa. No entanto, as exigências mais rígidas que passaram a ser aplicadas às máquinas desta categoria criaram uma demanda por novos sistemas e equipamentos de bordo, levando ao surgimento de um veículo aéreo modernizado Il-76MD-90A, o substituto do antigo Il-76. 

O primeiro veículo da série Il-76MD-90A já havia sido submetido aos voos de teste, que foram finalizados em outubro passado. “Os testes confirmaram a segurança do novo avião, assim como o seu alto nível de conforto e consumo de combustível reduzido”, ressalta Oleg Ganovitch, um dos pilotos de ensaio. “Os motores modernos permitem uma rápida aceleração durante a decolagem e garantem uma ótima frenagem com a marcha de ré após a aterrissagem, assim como altas taxas de ascensão.”

Além de ganhar um novo sistema de pilotagem e navegação, sistema de controle automático e dispositivos de bordo, cuja maneira de instalação permite acompanhar todos os parâmetros pelos indicadores LED do sistema eletrônico de indicação e alarme, a estrutura do antigo modelo sofreu uma série de alterações. Entre elas, a troca de asas pelos análogos atualizados com longos painéis de caixa que permitem diminuir o peso de cada uma em 2,7 toneladas, e pernas do trem de pouso modificadas.

Como a arquitetura do complexo de equipamentos de bordo é livre, os compradores terão uma opção de completá-lo tanto com os aparelhos nacionais, quanto importados. O avião também ganhou novos sistemas de comunicação e defesa, além de motores de última geração PS-90A-76. Comparando com os antigos D-30KP, os novos propulsores possuem uma tração maior (14,5 toneladas no modo de decolagem ou cruzeiro) e gastam menos 12% a 15% de combustível, possibilitando que os aviões percorram até 5 mil quilômetros com uma carga de 60 toneladas.

No dia do término dos primeiros testes, a oficina de montagem liberou o segundo avião da série. “Os trabalhos de fabricação e instalação dos equipamentos na nova aeronave estão indo a todo vapor”, conta Andrêi Fomin, editor-chefe da revista “Vzlet”. “As oficinas da fábrica estão ocupadas com a produção de componentes e mecanismos para as próximas dez máquinas, além do primeiro avião de abastecimento Il-78M-90A.”

Destino certo

O projeto de desenvolvimento do Il-76MD-90A tem uma importância ainda maior para a indústria de aviação da Rússia em médio e longo prazo. Além de transporte militar, o avião Il-76 e suas modificações podem ser usados para os fins de detecção de longo alcance, assim como servir como abastecedores aéreos, aviões do serviço de combate a incêndios e hospitais móveis.

De acordo com o vice-premiê russo Dmítri Rogôzin, a United Aircraft Corporation já solicitou cem unidades do novo Il-76, com configurações variadas. Metade deles serão destinados ao setor de defesa e seis foram pré-encomendados pelo Ministério para Situações de Emergência. Os departamentos aeronáuticos do Ministério de Negócios Internos e do Serviço Federal de Segurança, entre outros órgãos, também expressaram interesse em adquirir os novos modelos.

No mercado internacional, a máquina tem todas as chances de ser igualmente bem-recebida: os aviões Il-76 estão sendo usados em mais de 30 países, que provavelmente devem seguir a tradição, substituindo-os pelos veículos modernos do mesmo patamar. Esse é o caso de países do Sudeste e Sul Asiático, que já expressaram pelo veículo.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.