Crimeia ganhará novo sistema antimíssil

O radar do sistema de alerta de mísseis "Dnepr" e um ponto de controle de naves espaciais encontram-se em Sevastopol desde a era soviética Foto: ITAR-TASS

O radar do sistema de alerta de mísseis "Dnepr" e um ponto de controle de naves espaciais encontram-se em Sevastopol desde a era soviética Foto: ITAR-TASS

Sob comando de Moscou, Crimeia ganhará novo sistema de alertas antimíssil.

Após passar por modernização, um radar antimíssil passar a funcionar na Crimeia em 2016. Os sistemas orbitais quase não eram utilizados por Kiev.

"Já começamos a equipar o radar com novos sistemas de comando de medição, veículos espaciais e complexos de sistemas de vigilância do espaço", disse o comandante russo de defesa aeroespacial Aleksandr Golovko.

Cerca de 20 sistemas e complexos de nova geração serão postos em funcionamento.

Em pouco mais de um ano, o radar “Dnepr”, situado em Sevastopol, também deverá voltar a cumprir suas funções de defesa no sistema nacional de alerta a ataques de mísseis.

Antes disso, porém, o radar deverá passar por modernização, tanto em seus sistemas de computação como nos sistemas de engenharia, técnica e tecnologia.

A partir de 1° de dezembro deste ano, também começará a funcionar o ponto de controle do grupo orbital de Sevastopol.

Histórico de pouco uso

O radar do sistema de alerta de mísseis "Dnepr" e um ponto de controle de naves espaciais encontram-se em Sevastopol desde a era soviética. Já na região de Evpatoria, havia um centro de comunicação espacial.

Ao herdar da União Soviética esses equipamentos, a Ucrânia nunca chegou a colocá-los em funcionamento. Por um longo período, o radar foi alugado para o Ministério da Defesa da Rússia. Mas quando Kiev começou a elevar as taxas pelo uso da estação, Moscou encerrou o contrato. Então, foi instalado nos arredores de Armavir o sofisticado radar "Voronej", destinado a tarefas de combate.

"A partir de 1° de dezembro, o complexo de Evpatoria será parte do Centro Principal de Testes e de Controle de Veículos Espaciais “Titov", cuja sede está situada em Krasnoznamensk", disse Golovko.

Segundo ele, o centro passará não só a controlar veículos espaciais do grupo orbital da Rússia, como também a agir nos interesses do sistema  russo de controle de espaço.

Com telescópio radioastronômico RT-70 não tem análogos no mundo em parâmetros de adaptação a condições climáticas, precisão e capacidade de  trabalhar em diferentes  intervalos de ondas de rádio.

Todos os anos, a Rússia amplia a quantidade de radares de monitoramento de mísseis em várias partes do mundo. Novos locais alternativos para sua construção foram preparados na região de Orenburgo e no Ártico, onde em breve o radar “Voronej”deverá passar a operar.

Testes de estações semelhantes já foram realizados nas regiões de Kaliningrado e Irkutsk. De acordo com Golovko, até o final deste ano começarão a funcionar os radares de controle mísseis nas regiões Leste e Oeste. Nos próximos três meses, mais dois radares "Voronej" passarão a funcionar no combate experimental no território de Altai e em Ieniseisk.

 

Publicado originalmente pela Rossiyskaya Gazeta

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.