Novo sistema detecta queda de fragmentos de foguetes em tempo real

Peças de foguetes atingem o chão a uma velocidade supersônica Foto: TASS

Peças de foguetes atingem o chão a uma velocidade supersônica Foto: TASS

Ministério da Defesa da Rússia vai começar ainda este ano a operar o mais novo sistema de localização para detectar a queda de fragmentos de foguetes. Aparato possibilita rastrear simultaneamente até 100 peças.

O novo sistema foi desenvolvido no centro de pesquisa e produção Khrunichev com o objetivo de identificar áreas de impacto de partes do foguete Angara. Na sede das Forças de Defesa Aérea e Espacial, considera-se também a possiblidade de usar o novo sistema em Kura, local de testes de foguetes em Kamtchatka.

“Esse sistema possibilita rastrear simultaneamente até 100 fragmentos, embora seja normalmente preciso identificar quatro ou cinco”, declararam os engenheiros responsáveis pelo projeto.

A estação de localização foi concebida para detectar fragmentos de foguetes em tempo real. Para determinar com maior precisão as coordenadas de localização, está prevista a implantação de 3 a 5 estações, com uma distância de 80 a 100 km entre si.

Os territórios onde geralmente caem fragmentos de foguetes na República de Komi e na região de Tomsk são principalmente áreas florestais. Em Komi, a área de impacto se estende por 40 km no parque nacional “Yugyt va”. 

Como funciona

As peças de foguetes caem no chão a uma velocidade supersônica, criando uma onda sonora que se propaga ao longo de uma distância considerável. A estação vai ser capaz de detectar essas ondas e determinar áreas de fragmentos de foguetes de impacto assim que uma onda sonora é captada pelos módulos.

Operando com autonomia, os módulos de uma estação se comunicam entre si através de um canal de rádio, determinam a trajetória de voo do fragmento e a área de impacto. Na sequência, o módulo da estação transmite os dados a uma nave não tripulada Orlan.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.