Inaugurada primeira usina solar do país

A capacidade de geração da nova usina alcança os 5 MWatt, superando o poder geratório  das centrais elétricas antigas,  de apenas 2 MWattFoto: Aleksandr Kriajev / RIA Nóvosti

A capacidade de geração da nova usina alcança os 5 MWatt, superando o poder geratório das centrais elétricas antigas, de apenas 2 MWattFoto: Aleksandr Kriajev / RIA Nóvosti

Estação em Altai é primeira de uma série a serem erguidas em solo russo.

Apesar de o setor de energia solar ter apresentado índices positivos de desenvolvimento apenas na área espacial, a situação mudando como mostra o lançamento da maior estação solar do país, no povoado Koch-Agatch, na República de Altai.

A capacidade de geração da nova usina alcança os 5 MWatt, superando o poder geratório  das centrais elétricas antigas,  de apenas 2 MWatt.  

Essa é a primeira das cinco a serem inauguradas na região com a potência total de 45 MWatt. As estações visam também a fornecer energia elétrica a regiões de difícil acesso.

"A inauguração de uma usina solar no povoado Koch-Agatch marca o início de uma nova etapa na história da indústria de energia elétrica russa", disse à Gazeta Russa o diretor da associação de companhias de energia solar, Anton Usatchev.

Energia solar na terra da neve

Menos de uma década atrás, os projetos de construção de estações solares eram considerados por especialistas russos como inviáveis devido à baixa capacidade dos módulos fabricados então, longos prazos de recuperação de investimentos, ausência de base legal e condições climáticas desfavoráveis, que espantavam os investidores potenciais.

"A utilização das fontes alternativas e renováveis de energia elétrica nas regiões de difícil acesso está entre nossas prioridades. A estação que está sendo inaugurada hoje é um exemplo disso", disse o presidente russo, Vladímir Pútin, durante o evento.

A geração de energia solar será estimulada nas regiões mais ensolaradas do país e que têm altos custos de geração de energia a diesel. Entre essas, estão as províncias sul do país e da Sibéria, sem mencionar as unidades federativas do Extremo Oriente russo.

"Apesar das condições climáticas desfavoráveis, a Rússia dispõe de todos os recursos necessários para a criação de uma indústria solar que possa substituir os meios tradicionais de geração de energia elétrica. Enquanto o nível anual de insolação na Alemanha já obteve ótimos resultados, chegando de 0,9 a 1,2 MW/m2,  na cidade russa de Astrakhan e na República de Atai superam esses, chegando a 1,38 MW/m2 e 2,2 MW/m2, respectivamente", disse à Gazeta Russa o porta-voz  da empresa estatal Rosnano.

Sol em regiões afastadas 

Para o presidente da associação de redes comerciais, Aleksandr Khurudji, os recursos disponíveis na região sul da Rússia, principalmente na Crimeia, facilitarão o desenvolvimento da indústria de energia solar nesses locais.

Mas os projetos do ramo continuam sendo viáveis apenas nas áreas afastadas sem outras fontes energéticas disponíveis, ressalta.

No momento, o preço da energia elétrica consumida por residências particulares é parcialmente subsidiado pelo governo, deixando para os usuários finais apenas uma diferença de cerca de 14,2 dólares a ser paga por cada 15 kW utilizados.  

"Por motivos tecnológicos, a energia solar continua não oferecendo vantagens para os consumidores comerciais e industriais", acrescenta Aleksandr Khurudji.

Por ser um dos locais mais ensolarados da Rússia - lá o sol brilha mais de 300 dias por ano - o povoado de Koch-Agatch garantiu-se como receptor da primeira usina de energia solar do país.

A instalação poderá abastecer mais de mil domicílios simultaneamente. Para o ano de 2015, está programado o lançamento e comissionamento da segunda unidade da usina em questão com mesma potência da primeira.

Os investimentos no setor, porém, são altos: estimam-se em 4 bilhões de dólares na construção das estações solares russas até 2020.

Nesse sentido, a ausência de crédito a longo prazo com juros baixos é um dos principais motivos que assegura o desenvolvimento da indústria de energia alternativa no país.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.