Aparelho russo usado em resgates ganha nova versão

Aparelho registra a presença de seres vivos também através de obstáculos como tijolo de 40 cm de espessura Foto: twitter.com/oODarkWingsOo

Aparelho registra a presença de seres vivos também através de obstáculos como tijolo de 40 cm de espessura Foto: twitter.com/oODarkWingsOo

Aparelho registra a presença de seres vivos também através de obstáculos como paredes de concreto ou tijolo de 40 cm de espessura.

Uma versão atualizada do aparelho Pikor-Bio, um instrumento que pode ajudar na busca de mineiros em caso de colapso de uma rocha, foi lançada na Rússia.

Capaz de “ver” objetos vivos não só através de obstáculos constituídos por elementos individuais, a nova versão aumenta a gama de utilização do aparelho, que registra a presença de seres vivos também através de obstáculos como  paredes de concreto ou tijolo de 40 cm de espessura.

Além disso, ele “vê” através de uma camada de areia de quase um metro. Nesta nova modificação, o dispositivo russo torna-se uma ferramenta indispensável para resgatadores que trabalham em áreas de desastres naturais, como cheias e terremotos.

A “Voz da Rússia” pediu mais detalhes sobre o novo projeto para Timur Gorgeladze, chefe do departamento de marketing da empresa desenvolvedora do aparelho, a Design Bureau de Trabalhos Experimentais.

“Externamente, o Pikor é uma caixa de plástico na qual estão montados um radar e um tablet. Durante a busca de uma pessoa, o operador aponta o radar para a superfície sondada e observa o diagrama na tela do tablet. Através dele, é possível ver sob uma camada de areia, neve ou por trás de um muro de concreto se uma pessoa que está mostrando sinais de vida”, explica.

Foto: volpromex.ru

O Pikor-Bio permite ao operador não só “ver através das paredes” pessoas por trás de um obstáculo, mas também determinar a distância até elas e perceber se elas estão se movendo ou paradas. Para detectar uma pessoa, basta o trabalho de seu coração e sua respiração. Por isso, o aparelho pode ser usado por militares, policiais ou resgatadores, dependendo dos problemas que enfrentam. O dispositivo pode operar a uma temperatura de 40 graus negativos a 50 positivos. Externamente, ele é muito compacto e pesa menos de dois quilos.

Primeiras horas

Um aparelho com tais propriedades pode ser especialmente útil em operações de resgate nas primeiras horas após a emergência, que são críticas.

O modelo atual é interessante não só ao consumidor russo, continua Gorgeladze.

“O Pikor-Bio foi projetado para uso interno no país, mas já há interessados da Índia e da China. Acordos de cooperação estão agora em fase de negociação.”

Existem análogos estrangeiros deste instrumento. Mas para o consumidor russo a vantagem do Pikor é que o aparelho foi criado com software nacional. Para compradores estrangeiros ele é interessante por várias vantagens sobre modelos já existentes.

O aparelho russo é mais compacto, por isso é muito adequado para uso em locais de difícil acesso, como, por exemplo, escombros de edifícios destruídos. Durante seu funcionamento, ele não cria interferências para outros dispositivos de rádio e também é resistente a interferências.

Na Rússia, o aparelho interessou vários ministérios, incluindo a pasta para Situações de Emergência.


Publicado originalmente pela Voz da Rússia

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.