Novo sistema de mísseis de defesa é apresentado

Agora, os novos sistemas com COA multiespectral estão sendo adquiridos em grande número pelas Forças Armadas dos Estados Unidos e da França Foto: Serguêi Kuznetsov/RIA Nóvosti

Agora, os novos sistemas com COA multiespectral estão sendo adquiridos em grande número pelas Forças Armadas dos Estados Unidos e da França Foto: Serguêi Kuznetsov/RIA Nóvosti

O sistema portátil de mísseis de defesa aérea Verba chegou às tropas russas para substituir o Igla-S, atualmente a serviço do exército. Segundo especialistas, o novo sistema é superior aos análogos estrangeiros por suas características de desempenho

O sistema portátil de mísseis de defesa aérea Verba, desenvolvido pela Oficina de Engenharia de Instrumentação da holding Sistemas de Precisão, foi entregue a uma das divisões das tropas aerotransportadas e à brigada de infantaria motorizada do Distrito Militar do Leste. Ele deverá substituir os sistemas da geração anterior que estão atualmente a serviço do exército, o Igla-S.

Drones e mísseis de cruzeiro

“Os Verbas serão entregue não apenas nas brigadas de infantaria e tanques. Eles vão ser adquiridos também pelas Forças Aerotransportadas, bem como pelos fuzileiros navais. Pretendemos substituir na totalidade os Iglas. No entanto, não posso precisar ainda o momento exato da substituição completa”, disse um porta-voz do Ministério da Defesa russo.

A mesma fonte disse ainda que não está excluída a possibilidade de, num futuro próximo, os novos sistemas complementarem o arsenal da marinha de guerra e que surjam modelos sobre rodas ou lagartas.

A principal diferença entre os Verbas em relação à geração anterior está na cabeça de orientação automática (COA) com comando óptico multiespectral de orientação térmica. Graças à ela é possível distinguir o alvo dos chamarizes térmicos passivos, que são atualmente elementos obrigatórios dos sistemas de defesa não apenas dos caças-bombardeiros, helicópteros e aviões de ataque, mas também de aviões e helicópteros de transporte.

“Agora, os novos sistemas com COA multiespectral estão sendo adquiridos em grande número pelas Forças Armadas dos Estados Unidos e da França. Por enquanto, esses mísseis não estão sendo exportados”, diz o especialista militar independente e um dos autores do livro “Tanques de Agosto”, Anton Lavrov.

O míssil Verba consegue enxergar o alvo em três espectros. Por isso, pode distingui-lo mesmo em caso de uso dos chamados projetores a laser, o que permite detectar e atingir alvos com baixa radiação térmica, tais como veículos aéreos não tripulados e mísseis de cruzeiro.

Ataque frontal

A maioria dos sistemas portáteis de mísseis de defesa aéreaestrangeiros só funciona bem em rota de perseguição, quando a aeronave já sobrevoou a posição do operador e o míssil é disparado só depois de ele passar, orientando-se pela emissão térmica dos motores. O Verba russo com o míssil 9m336 consegue, ao mesmo tempo, "pegar" o inimigo que vem de frente. Nesse caso, a COA óptica multiespectral capta não o calor emitido pelo motor da aeronave, mas aquele que resulta do aquecimento das asas e fuselagem em sua resistência do ar.

Atualmente, além da Rússia e dos países da CEI (Comunidade dos Estado Independentes), o sistema portátil de mísseis de defesa aérea Igla está a serviço das Forças Armadas de mais de 30 países, incluindo Bulgária, Sérvia, Croácia, Polônia, Finlândia, Vietnã, Cingapura, Brasil, México, Venezuela, Peru, Nicarágua, Cuba, Índia, Alemanha, Iraque e Malásia.

“Além da nova cabeça de orientação automática, o Verba russo também se distingue do Igla por suas características de desempenho superiores, mais especificamente no alcance e na altitude de derrubada dos alvos”, diz o representante do Ministério da Defesa russo.

Segredo

Por enquanto, a maioria das características reais da novidade permanece em segredo. Mas pelos relatos já expressos na mídia, o míssil do novo Verba é capaz de atingir um alvo a uma distância de 6,5 km e a uma altitude na ordem dos 4,5 km. O Igla consegue "pegar" o alvo quase à mesma distância, mas a uma altitude de apenas 3,5 km.

Os novos aparelhos, com a ajuda do terminal de sistema automatizado de controle (SAC), fornecido com o conjunto, podem ser utilizados individualmente e como parte da bateria. Graças ao SAC, o comandante que recorre não apenas aos dados de radares terrestres mas também a aeronaves com Sistema Aéreo de Alerta e Controle para obtenção de dados complementares, consegue ver antecipadamente os alvos e distribuí-los entre os operadores em modo automático também de antemão.

“Por enquanto, apenas as forças armadas dos Estados Unidos e da França possuem sistemas com características de desempenho semelhantes, equipados com piloto óptico de orientação multiespectral. Eles são também utilizados em combinação com o sistema automatizado de controle das tropas. Por outro lado, o Verba russo ainda é superior aos homólogos estrangeiros por suas características de desempenho”, diz Anton Lavrov. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies