Meteorito de Tcheliabinsk inspira artistas e empresários

Um ano e meio depois de sua queda, asteroide virou tema de quadros e filmes e contribuiu para o aumento do turismo na região russa

No dia 15 de fevereiro de 2013, a pequena cidade de Tchebarkúl, na região de Tcheliabinsk, a 1.700 km de Moscou, foi atingida por um  superbólido – o maior de todos os corpos celestes conhecidos caídos na Terra após o lendário meteorito de Tunguska -, que logo despertou a fantasia dos habitantes locais.  

“Que sorte a nossa ele cair aqui e não no Casaquistão!”, diziam os moradores da cidade depois de saírem do choque. Em homenagem ao meteorito, foi inaugurado em Tchebarkúl um monumento e um parque de diversões, e há  até mesmo propostas de incluir sua imagem no brasão de armas da região.

Filme de ficção e conta no Twitter

Os moradores da região que testemunharam a queda do meteorito foram retratados em um tríptico de quatro metros  pintado por Albert Rastiapin, artista que trabalha na área de publicidade. O quadro apresenta, entre outros, um salvador valente, moradores feridos pelos estilhaços de vidros quebrados e um homem seminu tirado do sono pelo meteorito. O artista levou cerca de um ano para terminar a enorme tela, trabalhando noite adentro nos tempos livres.

Este ano, um grupo de artistas de um pequeno ateliê moscovita, o SC-Art, iniciou as filmagens de um filme de ficção sobre a queda do célebre meteorito. Será um longa-metragem de baixo orçamento, relatando uma versão alternativa daquilo que aconteceu há um ano e meio, no dia da queda do superbólido.

Apenas duas horas após o acontecimento, internautas criaram uma conta no Twitter para o meteorito (Twitter.com/Che_meteorit). “Desintegrei-me em pedaços. Caí e fiquei espalhado por toda zona dos Urais”, diz a primeira publicação. Atualmente, o “meteorito de Tcheliabinsk” continua fazendo postagens na rede social e conta com 1.035 seguidores.

Fonte: YouTube

Matvei Grevtsov, estudante de uma escola de Tcheliabinsk, de 14 anos de idade, inspirou-se na queda de meteorito para criar uma solução para o problema global das fontes alternativas de energia. Durante o voo do corpo celeste, um fortíssimo fluxo de ar quebrou muitas janelas, e o jovem pensou que a enorme força de pressão do ar poderia ser usada para gerar energia elétrica. O projeto levou o adolescente até a final do concurso internacional do Google “Ciência em Ação”.

Perfume de meteorito

Nas primeiras semanas após a queda do torrão cósmico, diversos homens de negócios tomaram a iniciativa de registrar as marcas “Meteorito de Tcheliabinsk”, “Meteorito dos Urais”, “Meteorito de Tchebarkúl” e “Meteorito Enigmático”, e comerciantes decidiram fabricar produtos de panificação e confeitaria, artigos de escritório, café e chá com a imagem do bólido.

Um dos empresários de Tchebarkúl criou uma linha de perfumes inspirada no meteorito. As autoridades locais apoiaram a ideia e até ofereceram ao comerciante um pequeno fragmento do meteorito para a “extração” do cheiro. O homem queria preservar para toda eternidade um aroma que seria associado com a capacidade humana de ultrapassar qualquer tragédia natural. A embalagem do perfume é decorada com a imagem do lago em que caiu o meteorito.

Foto: Press Photo

O local de queda do fragmento espacial se transformou em ponto turístico. Se antes Tchebarkúl estava atraindo turistas na qualidade da “terra dos cossacos de Oremburgo”, hoje a cidade é destino do “turismo cósmico”. “Temos vários agendamentos de visitas guiadas de estrangeiros, tanto individuais como de grupos de até 48 pessoas. O maior interesse foi manifestado por japoneses; entretanto, da parte dos russos até hoje não se nota nenhuma vontade de encomendar uma excursão do gênero”, disse Marina Alekseeva, proprietária da agência de turismo Akbest Tour, em  entrevista para a RIA Nóvosti.

Capital do meteorito 

Funcionários do governo também foram envolvidos pela agitação em torno do asteróide. A administração da Unidade Federativa de Tcheliabinsk lançou suvenires em forma de meteoritos e entregou um requerimento para o Serviço Federal de Propriedade Intelectual (Rospatent) para registrar a marca “Tcheliabinsk, a Capital do Meteorito na Rússia”.

Na cidade de Tchebarkúl, em volta da qual os cientistas encontraram a maior quantidade de fragmentos do “intruso”, foi criada uma comissão para a “marcação meteorítica” da região. Andrêi Orlov, atual prefeito de Tchebarkúl, escreveu cinco dias após a queda do bólido: “Agora não devemos deixar escapar esta sorte, temos que fazer tudo como deve ser”. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.