Uso de drones por empresas se torna cada vez mais popular na Rússia

Os equipamentos realizam funções que vão de fotógrafos a entregadores, mas atividade ainda precisa de regulamentação.

A Gazeta Russa publicou uma reportagem em meados de junho passado sobre a primeira pizzaria da Rússia que começou a utilizar drones como entregadores de suas pizzas. O resultado disso foi que a Procuradoria dos Transportes apresentou uma denúncia sobre uma possível violação das normas que regulam o espaço aéreo do país.

“Estamos fazendo de tudo para provar que nosso drone apenas formalmente pode ser considerado um UAV (veículo aéreo não-tripulado, na sigla em inglês), tendo em vista que muitas de suas características são incompatíveis com a definição de UAV, tais como peso, tamanho e método de controle”, disse o fundador da Dodo-Pizza, Fedor Ovchinnikov, que decidiu inovar no método de entrega de pizzas na cidade de Syktyvkar. “Por não ser um UAV, entendemos que a sua utilização não está regida pelo Código Aeronáutico, ou seja, não necessitamos de qualquer autorização especial para o voo com esses aparatos”, afirmou.

No entanto, apesar do processo administrativo perante a Procuradoria dos Transportes de Syktyvkar já estar concluído, não foi emitida qualquer permissão de voo aos drones da Dodo-Pizza.

“Imagine drones entregando pizzas nos parques de Syktyvkar assim como fazem nos subúrbios de Boston. Isso é uma verdadeira revolução tecnológica. Tenho certeza de que dentro de alguns anos os drones estarão bem mais baratos e confiáveis. Dezenas de empresas irão utilizá-los como entregadores sem receio algum”, afirmou Ovchinnikov.

Regulamentação rigorosa

De acordo com o Código Aeronáutico da Rússia, os proprietários de UAVs  devem obrigatoriamente receber permissão expressa para voar da Agência de Aviação Civil da Rússia (Rosaviatsia). Além disso, cada voo deve estar de acordo com um plano detalhado de operações que deve incluir o tempo exato de duração e as rotas utilizadas. A pena por descumprimento varia de 3.000 rublos (cerca de R$ 189) para pessoas físicas a 500 mil rublos (cerca de R$ 31.500) para pessoas jurídicas. “Todos estes procedimentos referem-se somente ao voo propriamente dito. A responsabilidade por danos ao patrimônio ou à integridade física de alguém causados pela queda de um desses aparelhos é muito mais severa”, avalia Ovchinnikov.

A inflexível regulamentação não inibe o crescimento da popularidade dos drones. “Já trabalhamos com mais de 500 pedidos de entrega por drones”, afirma o fundador da empresa CopterExpress, Oleg Ponfilenok. A companhia também se localiza em Syktyvkar e planeja ampliar os negócios. Hoje trabalha com entregas por drones em um raio de 5 km, mas o número tende a crescer. O tempo de espera para entregas não passa de uma hora.

Múltiplas atividades

O designer Aleksândr Pologov tem grandes expectativas na utilização de drones. Ele quer organizar uma plataforma de observação de Moscou nas Colinas dos Pardais com a utilização de drones capazes de fazer fotos e vídeos panorâmicos. O custo médio seria de US$ 150 a US$ 200 (entre R$ 342 e R$ 456). Ideias parecidas estão florescendo também em São Petersburgo, Izhevsk e Rostov.

“Esses drones já são utilizados aos milhares”, afirma Serguêi Semenov, coordenador do projeto Airpano, uma iniciativa que busca registrar imagens aéreas dos lugares mais bonitos do planeta. “Quando começamos a trabalhar com drones em 2010, não havia um que conseguisse levantar uma câmera decente. Agora, é possível comprar qualquer drone chinês capaz disso por 30 mil rublos (cerca de R$ 1.800).  Conheço pelo menos 15 fotógrafos em Moscou que trabalham com fotografia aérea a partir de drones. Por exemplo, o dia de filmagem de um casamento com a utilização de drones sai mais caro do que o convencional, algo em torno de 25 mil a 40 mil rublos (R$ 1.500 a R$ 2.500), no entanto nenhum cliente tem reclamado. Pelo contrário, esta modalidade tem se tornado muito popular”, explica o fotógrafo.

De acordo com Semenov, no entanto, o uso de drones é uma atividade que requer cuidados. “Antes de voar de fato com o aparelho, é necessário várias horas em simuladores. Nós mesmo fazemos testes regulares de software, motor e baterias. Durante os quatro anos de utilização ninguém ficou ferido nem houve danos a propriedades”, relatou.

Fonte: YouTube

“O mercado russo de drones está crescendo rapidamente. A demanda por fotografia aérea atingiu níveis impressionantes e muitas pessoas estão buscando fazer dinheiro com isso também”, disse Pavel Ivanov, fundador de uma empresa de assistência técnica aos drones. Ele acredita que o potencial comercial de utilização destes aparelhos é enorme. “Cada vez mais, pequenas e grandes empresas têm buscado os drones para realizar obervação e proteção de seus territórios, supervisionar processos industriais e entregar mercadorias. Além disso, agências governamentais e as forças armadas vêem utilidade nos drones em missões de vigilância, busca e resgate, distribuição de medicamentos em áreas afetadas e muito mais”, concluiu.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.