Em resposta a sanções dos EUA, Rússia pode vender sistemas de mísseis antiaéreos ao Irã

Moscou e Teerã assinaram o contrato para o fornecimento dos sistemas S-300 em 2007 Foto: Ígor Zarembo/RIA Nóvosti

Moscou e Teerã assinaram o contrato para o fornecimento dos sistemas S-300 em 2007 Foto: Ígor Zarembo/RIA Nóvosti

Segundo embaixador, negociações sobre a retomada do fornecimento, interrompido após resolução da ONU, já estão em andamento.

A renovação do contrato entre Rússia e Irã referente ao fornecimento de sistemas de defesa aérea S-300 a Teerã poderá ser a resposta às sanções impostas na última semana pelos EUA contra as empresas russas de defesa. Segundo Mehdi Sanai, embaixador iraniano na Rússia, a proposta de fornecimento está sendo estudada pelos dois países.

"Os nossos representantes do Ministério da Defesa já mantiveram conversações repetidas vezes com os seus parceiros na Rússia”, informou o embaixador à agência de notícias Interfax. “Acho que eles estão se entendendo muito bem. Tenho esperança de que vamos receber o S-300 ou um sistema mais moderno. Essa questão está sendo resolvida."

O embaixador lembrou que “o Irã considera que o contrato referente ao fornecimento de sistemas S-300 ainda está em vigor, pois as sanções que foram impostas nos termos da resolução 1929 do Conselho de Segurança da ONU não incluem o citado contrato”. Ele também afirmou que o acordo foi assinado antes da imposição das sanções e enfatizou que “esse sistema tem um caráter defensivo e não ofensivo”.

Moscou e Teerã assinaram o contrato para o fornecimento dos sistemas S-300 em 2007. Os líderes de Israel e dos EUA se manifestaram contrários à efetivação do contrato e, em junho de 2010, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a quarta resolução que continha sanções contra o Irã. Nela, pela primeira vez foram introduzidas restrições ao fornecimento de armas convencionais para Teerã, incluindo mísseis e sistemas de mísseis, tanques, helicópteros de ataque, aviões e navios de combate.

A Rússia declarou que as restrições da nova resolução se estendiam inclusive ao contrato que previa o fornecimento dos sistemas S-300 para Teerã. No dia 22 de setembro de 2010, o então presidente russo, Dmítri Medvedev, assinou um decreto anulando os contratos de fornecimento dos S-300 para o Irã. A medida levou Teerã a mover uma ação de US$ 4 bilhões por quebra do contrato contra a empresa russa Rosoboronexport no Tribunal de Arbitragem Internacional de Genebra.

Com o anúncio de novas sanções americanas às empresas russas da área militar-industrial, especialistas russos não excluem a possibilidade de que os antigos acordos de fornecimento de sistemas S-300 ao Irã ganhem um novo impulso.

 

Publicado originalmente por Moskóvski Komsomolets

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.