Novo avião A-100 será poderoso instrumento de reconhecimento

A-100 está sendo criado com base no IL-476 em cooperação entre empresas da indústria militar russa Foto: divulgação

A-100 está sendo criado com base no IL-476 em cooperação entre empresas da indústria militar russa Foto: divulgação

Complexo garante a detecção de bombardeiros a uma distância de 650 quilômetros, de caças a uma distância de 300 quilômetros e de alvos terrestres, como uma coluna de tanques, a 250 quilômetros.

O futuro avião de 5ª geração A-100 irá aumentar significativamente as capacidades de reconhecimento, patrulha e gestão, embora as capacidades do antecessor modernizado A-50U já fossem bastante grandes. Este complexo garante a detecção de bombardeiros a uma distância de 650 quilômetros, de caças a uma distância de 300 quilômetros e de alvos terrestres, como uma coluna de tanques, a uma distância de 250 quilômetros.

O complexo aéreo de detecção, controle e alerta por radar a longas distâncias, conhecido como A-100, está sendo criado com base no IL-476 em cooperação entre empresas da indústria militar russa, explica Vladímir Verba, diretor-geral da empresa Vega, um dos principais participantes do projeto.

“Este é um avião com capacidades únicas para a detecção e seleção de alvos no ar, na terra e na água, aerodinâmicos e balísticos, incluindo hipersônicos não-tripulados. Possui também capacidades de reconhecimento, processamento e apresentação de informações para pontos de gestão de todos os níveis.”

Sem dúvida, este é um dos sistemas de aviação mais complexos do mundo. Apenas dois países hoje são capazes de criar independentemente tais complexos, um deles é a Rússia.

O avião A-100 será equipado com um sistema de rádio moderno com um radar de varredura eletrônica ativa (Aesa, na sigla em inglês) de última geração. E também com soluções de computação com base em supercomputadores de cluster russos para o processamento de informações.

Provavelmente, este complexo se tornará um elemento-chave de reconhecimento e controle para todos os ramos das Forças Armadas da Federação Russa.

Céu aberto

Mas para realizar reconhecimento no âmbito do Tratado Internacional de Céus Abertos, os militares russos podem usar o sistema aéreo de vigilância Céu Aberto baseado no avião Tu-214ON. Para o Ministério da Defesa russo, já foram construídos dois aviões completamente equipados com instrumentos de observação e toda a infraestrutura terrestre do sistema de monitoramento Céu Aberto.

“Nós equipamos o complexo de vigilância de bordo desse sistema com todos os meios de monitoramento aéreo permitidos pelo Tratado de Céus Abertos. Em suas missões, inspetores russos podem realizar observações detalhadas da superfície em vários espectros de ondas eletromagnéticas: infravermelho, ótico, de foto, vídeo e radar”, diz Vladímir Verba, da empresa Vega.

Segundo o diretor-geral da empresa, os receios do lado norte-americano, expressados pela mídia ocidental, de um suposto excesso das características técnicas são absolutamente infundados. Depois de passar a certificação internacional, o sistema Tu-214ON pode legitimamente ser usado para realizar voos de inspeção sobre os territórios de todos os países participantes do tratado. Hoje, são 34 esses países, incluindo os Estados Unidos.

Na apresentação do sistema de reconhecimento Céu Aberto em Viena, especialistas ocidentais reconheceram que a Rússia conseguiu criar o melhor avião moderno no âmbito do Tratado de Céus Abertos.

 

Publicado originalmente pela Voz da Rússia

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.