Estações de GPS vão continuar em operação na Rússia

Caso os Estados Unidos não aceitassem instalar estações do Glonass em seu território, Rogózin suspenderia o funcionamento de GPS na Rússia a partir de junho Foto: Gazeta Russa

Caso os Estados Unidos não aceitassem instalar estações do Glonass em seu território, Rogózin suspenderia o funcionamento de GPS na Rússia a partir de junho Foto: Gazeta Russa

De acordo com o comunicado oficial publicado no site da Roscosmos (agência espacial russa), as estações terrestres do sistema americano GPS no território da Rússia continuarão a funcionar com base em acordos existentes até 31 de agosto, mas não poderão ser usadas para fins militares.

As declarações anteriores do vice-premiê russo, Dmítri Rogózin, sobre a possível suspensão das estações de GPS na Rússia não foram implementadas. No entanto, Rogózin adiantou que agora as estruturas estão sob controle das autoridades nacionais.

“Deixe-me explicar: foram desenvolvidas e adotadas medidas técnicas que excluem  o uso das estações para fins militares. Agora, elas estão completamente sob nosso controle”, escreveu Rogózin em sua página no Twitter. De acordo com o vice-primeiro ministro, as medidas tomadas correspondem aos interesses de segurança nacional e não limitam as necessidades dos usuários civis.

Rogózin declarou ainda que a Rússia iniciou negociações com os Estados Unidos sobre a implantação das estações do sistema russo Glonass em território americano. “O prazo é até 31 de agosto. Serão tomadas novas decisões com base nos resultados”, disse.

A notícia sobre a proibição do GPS na Rússia veio à tona no dia 13 de maio, quando o vice-primeiro-ministro anunciou as possíveis medidas a serem tomadas pelo país em meio aos desacordos acumulados nas relações com os Estados Unidos na área de cooperação espacial.

Caso os Estados Unidos não aceitassem instalar estações do Glonass em seu território, Rogózin suspenderia o funcionamento de GPS na Rússia a partir de junho. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.