Kremlin lança motor de busca próprio

Projeto iniciado em 2008 ganhou impulso da Rostelecom dois anos atrás Foto: Sputnik.ru

Projeto iniciado em 2008 ganhou impulso da Rostelecom dois anos atrás Foto: Sputnik.ru

Meta é incluir ferramenta estatal entre os Top 10 da internet russa em apenas quatro anos. Novo portal ainda não permite acesso em países estrangeiros.

A operadora nacional de telecomunicações (Rostelecom), na qual o governo detém mais de 50% das ações, apresentou a sua mais recente criação: o motor de busca “Sputnik”. Essa ferramenta deve se tornar para a sociedade civil um ponto de acesso à infraestrutura pública digital”, anunciou o vice-presidente da Rostelecom, Aleksêi Bassov.

O serviço do “Sputnik”, prioritariamente orientado ao mercado interno, terá que competir com o Yandex e o Google – juntos, respondem atualmente por mais de 90% do mercado das buscas on-line no país. “Mas não esperamos que o motor de busca se torne concorrente direto dos outros intervenientes deste mercado, já que o seu conceito é diferente”, explica o representante do recurso, Dmítri Tchistov.

De acordo com Bassov, o recurso tem como prioridade as fontes oficiais de informação e consultas relacionadas com instituições sociais. “Na Rostelecom, acreditamos que, para o usuário, a questão crítica não é tanto a quantidade de informação transmitida, mas a inexistência de informações fidedignas”, acrescenta o representante.

TOP 10

De acordo com a empresa de pesquisa TNS, os Top 10 da Runet (como é conhecida a internet russa) são: Yandex, Mail.ru, V Kontakte, Google, YouTube, Odnoklassniki, Wikipedia, Avito, Facebook e LiveJournal

Além do motor de busca, o portal dá acesso a vários serviços de cunho social que ajudarão os cidadãos russos a obter informações oficiais ou encontrar os serviços e instituições públicas – tais como clínicas, a delegacia de polícia mais próxima etc.

“A Rostelecom tem expectativa de ver o Sputnik no top 10 da internet russa em número de usuários dentro de quatro anos”, continua Bassov. Os acionistas do projeto também esperam que o recurso, estimado em US$ 20 milhões. se pague rapidamente por meio de publicidade e cobrança de taxas percentuais pela prestação de determinados serviços.

O representante avisa, contudo, que a atividade comercial terá início somente depois do lançamento da nova versão do site. “A inexistência de publicidade no começo também deve estimular visitas ao site”, diz Bassov.

Da Rússia ao mundo

O projeto do “Sputnik” começou em 2008 a partir de uma startup que reunia entusiastas em ferramentas de busca. Foi somente em 2012 que a Rostelecom resolveu investir no projeto.

O deputado da oposição, Iliá Ponomariev, disse anteriormente que o Kremlin teria tido a ideia da criação de um motor de busca oficial após o conflito armado com a Geórgia, em 2008. Segundo ele, a administração do então presidente Dmítri Medvedev foi a primeira a chamar a atenção para o modo como os materiais da imprensa eram disseminados nos motores de busca e como isso afetava a opinião pública.

Atualmente, o Sputnik.ru ainda não permite acesso de usuários de outros países, como medida de proteção contra ataques cibernéticos.

 

Com materiais dos veículos Védomosti, RBK, Forbes e Roem.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.