Cientistas da Sibéria propõem buscar drogas e explosivos com laser

As vantagens do “know-how” dos cientistas da Sibéria consistem na chamada busca sem contatos de drogas e explosivos, o que diminui consideravelmente riscos humanos Foto: Kommersant

As vantagens do “know-how” dos cientistas da Sibéria consistem na chamada busca sem contatos de drogas e explosivos, o que diminui consideravelmente riscos humanos Foto: Kommersant

Vantagens do “know-how” dos cientistas da Sibéria incluem chamada busca sem contatos de drogas e explosivos, o que diminui consideravelmente riscos humanos.

Um método original de busca de drogas e explosivos com a ajuda de laser foi desenvolvido na Sibéria. Especialistas da Academia Estatal Siberiana de Geodésia, em Novossibirsk, afirmam que a utilização de raios laser permite descobrir drogas a uma distância de 10 a 100 metros e metano, a 10 km.

Não serão necessários quaisquer dispositivos especiais: basta um laser de raios infravermelhos, largamente conhecido. O método permite adaptar a frequência de emissão de raios ao objeto analisado para procurar substâncias em questão, disse à Voz da Rússia o chefe do departamento de dispositivos e tecnologias especiais da Academia Estatal Siberiana de Geodésia, Valerik Airapetian.

“A instalação contém um laser que pode mudar a frequência de emissão. É possível adaptá-lo à frequência da substância investigada. Se as frequências de ressonância coincidirem, o sinal recebido dessa substância torna-se bruscamente mais alto. A elevação do sinal de resposta permite registrar, identificar e definir a concentração e outros parâmetros da substância analisada”, disse Airapetian.

Nas palavras do cientista, durante a busca de explosivos, o aparelho regula-se para a respectiva frequência. O laser emite um raio de frequência programada em direção ao objeto investigado. Se a frequência do sinal de resposta coincidir com a frequência enviada, significa que o objeto contém explosivos.

O mesmo acontece no caso da busca de drogas: “o laser pode ser regulado para o diapasão em que as drogas têm linhas intensas de absorção.”

Aplicação  

A esfera de aplicação da tecnologia é muito ampla. O laser ajudará a procurar explosivos e drogas em aeroportos, a analisar a concentração de metano em minas, a monitorar o meio ambiente e até a analisar sangue para investigações médicas. O aparelho permite descobrir drogas a uma distância de 10 a 100 metros e metano, a 10 km.

Nas palavras do especialista da Academia Estatal Siberiana de Geodésia, o método desenvolvido por cientistas de Novossibirsk já é utilizado em Atenas, capital da Grécia, para determinar o nível de poluição atmosférica. Atualmente, cientistas siberianos estão aperfeiçoando a metodologia e procurando investidores interessados na produção industrial de aparelhos.

As vantagens do “know-how” dos cientistas da Sibéria consistem na chamada busca sem contatos de drogas e explosivos, o que diminui consideravelmente riscos humanos. Além disso, a “sensibilidade” da busca é muito alta, permitindo obter resultados de 100% “sem alterar o estado da substância investigada”, ressaltou o representante da Academia Estatal Siberiana de Geodésia.

 

Publicado originalmente pela Voz da Rússia 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.