Roscosmos busca “outras condições” para continuar na ISS após 2020

Expedição à ISS com astronautas americanos Foto: Nasa

Expedição à ISS com astronautas americanos Foto: Nasa

Os políticos russos não veem razão para participar do projeto Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) que será desenvolvido pela Europa, Estados Unidos, Rússia, Canadá e Japão a partir de 2020, pois sugará mais de um terço do orçamento total da agência espacial russa Roscosmos.

“Nós não vamos nos retirar [do programa da ISS], mas ele foi desenvolvido até 2020 e vamos cumprir os nossos compromissos internacionais até 2022, além de receber o dinheiro estabelecido por contrato para o envio de astronautas americanos [à ISS]” disse o vice-premiê Dmítri Rogózin.

Porém, segundo ele, “é altamente questionável se vamos estender [nossa participação] até 2024”. As propostas finais serão desenvolvidas pela Roscosmos e depois submetidas ao governo russo.

“Não vemos nenhuma razão para a continuidade, do ponto de vista comercial”, continuou, ressaltando que a Rússia está pronta para discutir outras condições.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.