Funcionamento de GPS será suspenso em território russo a partir de junho

Rogózin disse ainda que a Rússia suspenderá a exportação dos motores de mísseis NK-33 e RD-180 para os Estados Unidos, se eles forem utilizados para fins militares Foto: ITAR-TASS

Rogózin disse ainda que a Rússia suspenderá a exportação dos motores de mísseis NK-33 e RD-180 para os Estados Unidos, se eles forem utilizados para fins militares Foto: ITAR-TASS

O vice-primeiro-ministro russo, Dmítri Rogózin, anunciou que o funcionamento de 19 estações terrestres do sistema americano GPS em território russo estará suspenso a partir de junho, caso as negociações em torno da instalação de estações do sistema russo Glonass nos EUA não sejam concluídas até 31 de maio.

Em meados de abril, os Estados Unidos decidiram congelar a construção das estações de calibração do Glonass em território americano. “Uma vez que, nos últimos meses, não houve nenhum progresso nas negociações sobre a instalação do Glonass no território dos EUA, a partir de 1 de junho podemos suspender o funcionamento das estações de GPS no território da Rússia. Há tempo para resolver esse problema até 31 de maio”, disse Rogózin à agência de notícias Itar-Tass.

As conversações com os parceiros americanos são conduzidas por um grupo de trabalho composto por representantes da Roscosmos (agência espacial russa), da Academia de Ciências e do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

“Esperamos que, antes do final deste verão, encontraremos uma solução que, com base em condições de igualdade e proporcionalidade, permitirá restaurar a cooperação entre o GPS e o Glonass”, ressaltou o ministro.

Caso o processo permaneça congelado, a cooperação será temporariamente suspensa, e, a partir de 1 de setembro, o funcionamento das 19 estações de transmissão do sinal de GPS instaladas em onze regiões da Rússia será interrompido por completo.

Em sua conta no Twitter, Rogózin garantiu que a suspensão temporário do funcionamento das estações do GPS não afetará a qualidade do sinal recebido pelos usuários do sistema de navegação.

Sinal de problema

As falhas no sistema, ocorridas recentemente no espaço aéreo ucraniano, serviram como motivo adicional para a proibição do uso de GPS. Depois de receber a informação de que os casos de falha do GPS em aeronaves civis sobre o território da Ucrânia se tornaram mais frequentes, a aviação russa encaminhou para as companhias aéreas um pedido para usar navegação que não seja baseada na tecnologia do GPS.

De acordo com a Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), a perda do sinal de GPS e GPWS (sistemas que avisam os pilotos sobre o limite de proximidade ao solo ou  alturas perigosas) aumentam o trabalho de piloto, obrigando-o fazer uma comparação com outros sistemas de navegação aérea.

Retaliação à vista

Rogózin disse ainda que a Rússia suspenderá a exportação dos motores de mísseis NK-33 e RD-180 para os Estados Unidos, se eles forem utilizados para fins militares. Esses motores são componentes importantes do programa espacial americano.

O contrato entre a United Launch Alliance e a empresa russo-americana RD-Amros prevê a importação, ao longo de vários anos, de 36 motores de foguetes de RD-180 para os foguetes-lançadores Atlas 5. Desde 2002, essas máquinas são utilizadas para o lançamento de satélites comerciais e satélites da Força Aérea dos EUA.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.