Novo bombardeiro PAK-DA entrará em serviço em 2025

Tu-95 (em cima) e Tu-160 (em baixo) Foto: ITAR-TASS

Tu-95 (em cima) e Tu-160 (em baixo) Foto: ITAR-TASS

Escritório de projetos Tupolev, que faz parte da United Aircraft Corporation (UAC), concluiu o esboço preliminar do PAK-DA, que irá substituir os atuais bombardeiros operacionais Tu-95MS, Tu-160 e Tu-22-3M.

Apesar da aeronave PAK-DA estar pronta no papel, ninguém sabe exatamente como será o futuro da aviação estratégica. Quando os trabalhos preliminares do programa PAK-DA começaram em 1999, os projetistas tiveram que responder a uma pergunta difícil: a Força Área nacional precisa de um bombardeiro subsônico ou supersônico?

Aeronaves em velocidade supersônica podem superar os meios de defesa antiaérea, mas, por causa de suas características aerodinâmicas, tornam-se visíveis para os inimigos – a não ser que seja empregada uma forma evasiva de fuselagem.  Bombardeiros supersônicos consomem uma grande quantidade de combustível, o que os impede de levar uma carga considerada por muito tempo no ar sem reabastecimento.

Os projetistas russos optaram, portanto, pela criação de um bombardeiro subsônico. De acordo com o comandante Victor Bondar, a diferença entre o PAK-DA e o Tu-160 é que o primeiro leva mais carga e o seu armamento é mais poderoso. O peso total do bombardeiro será de 120 toneladas, das quais pelo menos um quarto será de carga útil (combustível, tripulação e armamento).

A nova aeronave será construída em forma de “asa voadora”. Esse tipo de veículo não possui cauda, e a fuselagem será achatada e reduzida verticalmente de modo que toda ela possuirá função de asa; dentro dela ficarão alojados a tripulação e o armamento. A tecnologia “stealth” também será amplamente utilizada na construção da máquina. O novo bombardeiro possuirá formas angulares com linhas irregulares para dissipar os sinais de detecção dos radares inimigos.

O voo do primeiro protótipo do PAK-DA está planejado para 2017. Dois anos depois, serão conduzidos voos de testes e, em 2025, o avião entrará em serviço operacional. A data de entrada em serviço da nova aeronave está determinada pela retirada dos bombardeiros Tu- 160 e Tu- 95, que agora constituem a espinha dorsal da aviação estratégica russa.

Atualmente, o sector de aviação de longo alcance da Rússia detém um número modesto de aviões: 32  bombardeiros estratégicos Tu-95MS e 16 supersônicos Tu-160, estacionados na cidade de Engels.

Caça em ação

Também continuam os testes do caça de quinta geração T-50 PAK-FA, que já possui seis protótipos finalizados. Mais dois participarão dos testes de voo em 2015. Há previsão de, em 2016, iniciar sua produção em pequena escala. Esse avião deve permanecer em serviço na Força Aérea da Rússia para além de 2050, segundo o presidente a UAC, Mikhail Pogosian.

A capacidade de produção do PAK-FA já foi estabelecida. No entanto, o T-50 não será capaz de substituir prontamente todos os Su-27 e Su-30 em serviço, de modo que, nos próximos 10 anos, está prevista a utilização de dois tipos de aeronaves: o T-50 e o Su-35C.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.