Fósseis de animal pré-histórico encontrados na Sibéria

Reconstrução do esqueleto de estegossauro Foto: wikipedia

Reconstrução do esqueleto de estegossauro Foto: wikipedia

Esqueleto de estegossauro ocupa lugar de honra na exposição do Museu Etnográfico de Krasnoiarsk. Espécie antiga de dinossauro herbívoro e quadrúpede com idade superior a 160 milhões de anos foi encontrada por um paleontólogo local.

Não poderia ter presente melhor para comemorar os 125 anos do Museu Etnográfico de Krasnoiarsk do que a descoberta dos fósseis de um réptil que viveu no fim do período Jurássico - motivo pelo qual recebeu o nome Jurachka. “Não foram encontrados ossos de crânio e por isso não se pode determinar de que grupo faz parte o animal. Mas sem dúvida trata-se de um novo gênero e de uma nova espécie", disse à Voz da Rússia a vice-diretora da instituição, Tatiana Zikova.

Os fragmentos do esqueleto também revelaram muitas outras informações sobre o réptil: Jurachka atingiu uma idade avançada, sofria de osteocondrose e tamanho relativamente pequeno (três metros de comprimento e um metro e meio de altura), além de ser herbívoro.

A descoberta foi feita em uma mina a céu aberto que já não é mais explorada. “Os serviços de detonação foram suspensos, foi extraído apenas o carvão que se encontrava na superfície. Por isso tornou-se possível estudar as áreas em que foram achados esses fósseis. São de cor negra e, à primeira vista, não se distinguem do simples carvão. Só especialistas são capazes de definir que são ossos muito antigos", contou Zikova.

No mundo inteiro foram descobertos cerca de 10 esqueletos de estegossauros, sobretudo no continente americano, mas é primeira vez que tal descoberta acontece na Rússia. O exemplar único ocupa agora um lugar de destaque na exposição do Museu Etnográfico de Krasnoiarsk.

 

Publicado originalmente pela Voz da Rússia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.