Satélite peruano irá vasculhar rotas de narcotráfico

O satélite-miniatura em forma de cubo, que pesa apenas um quilo e cabe facilmente na palma da mão, será mantido no espaço por, pelo menos, seis meses Foto: Getty Images/Fotobank

O satélite-miniatura em forma de cubo, que pesa apenas um quilo e cabe facilmente na palma da mão, será mantido no espaço por, pelo menos, seis meses Foto: Getty Images/Fotobank

Com a ajuda de cosmonautas russos, microssatélite entrará em órbita em agosto deste ano. Além de coletar informações sobre as mudanças climáticas no planeta, aparelho será útil também na luta contra as rotas de narcotráfico e mineração ilegal.

O microssatélite russo-peruano Chasqui I, que foi entregue à agência espacial russa Roscosmos há um ano e meio e foi submetido a testes diversos, será finalmente lançado ao espaço em agosto deste ano. No próximo dia 26, o Chasqui I será levado para a Estação Espacial Internacional (ISS), onde vai aguardar o seu lançamento em órbita.

“Essa expedição inclui dois cosmonautas russos, Aleksandr Skvortsov e Oleg Artemiev, e o astronauta norte-americano Steven Swanson”, anunciou a porta-voz da Universidade Estatal do Sudeste, Iúlia Zalevskaia. Com a estação espacial internacional localizada a uma altitude de 350 km da Terra, os astronautas vão lançar o em "flutuação livre". 

O satélite-miniatura em forma de cubo, que pesa apenas um quilo e cabe facilmente na palma da mão, será mantido no espaço por, pelo menos, seis meses. Durante esse tempo, o Chasqui I ajudará a coletar informações sobre as mudanças climáticas no planeta, o estado das florestas e rios e a evolução das geleiras polares. 

Uma câmera acoplada vai fotografar a superfície da Terra e transmitir informações de fenômenos atmosféricos em tempo real, sobretudo em regiões expostas a desastres naturais e humanos. O Chasqui I será útil também na luta contra as rotas de narcotráfico e mineração ilegal.

O projeto foi desenvolvido e implementado por estudantes e cientistas da Universidade Estatal do Sudeste (UESE), em conjunto com um grupo de peruanos da Universidade Nacional de Engenharia (UNI).

Espaço latino

A Rússia coopera intensamente com o Peru no campo da tecnologia espacial desde 2009. Em novembro do ano passado, foram lançados outros dois satélites peruanos – o PUCP-Sat 1 e o Pocket-PUCP – do cosmódromo russo na região de Iasni e Orenburg. Os satélites lançados circundam a Terra a cada 90 minutos e fazem filmagens do planeta para fins científicos.

Além disso, a UNI e a UESE possuem outro acordo bilateral para a construção e lançamento do microssatélite RadioSkaf 3, maior em tamanho do que o Chasqui e cujo lançamento está previsto para 2015.

Os especialistas russos garantem que, como os governos dos países latino-americanos estão cada vez mais interessados na conquista do espaço, haverá futuramente procura em desenvolvimento de tecnologia espacial conjunta com a participação da Rússia. Nessa área, o país já coopera com Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.