Passo-a-passo do Su-35S

Su-35 Foto: sukhoi.org

Su-35 Foto: sukhoi.org

A Força Aérea da Rússia recebeu recentemente 12 novíssimos caças Su-35S dos 48 modelos que serão fornecidos ao exército até 2015. A cerimônia de entrega das aeronaves aconteceu na indústria de aviação I. A. Gagárin, em Komsomolsk-na-Amure, onde é montado esse caça a jato multimissão. Conheça algumas etapas de produção dessa máquina que deve se tornar a principal força de ataque da aviação russa nos próximos anos.

Na enorme seção de fresagem, onde as peças de metal são cortadas, trabalham jovens de ambos os sexos que lidam habilmente com máquinas extremamente complexas e caras. Iana Tcherepok, fresadora do quarto nível, é uma dessas trabalhadoras. Com pouco mais de 20 anos, ela produz 12 peças por dia para a aeronave, enquanto sonha em educar a filha e comprar uma casa própria.

A vida útil do Su-35S é de aproximadamente 30 anos. A aeronave vai reforçar o Exército enquanto a Força Aérea não incorporar o caça de quinta geração T-50 ao seu arsenal.

Ao todo, em sua seção, são torneadas cerca de 2.800 peças utilizadas em diferentes versões de montagem. Materiais diversos são utilizados na produção das peças, desde duralumínio e titânio a ligas e materiais compósitos.

Na seção de montagem, os elementos do corpo do caça – a seção central de fuselagem e a fuselagem traseira – são encaixados, e a máquina começa a ganhar forma. Para isso, o departamento conta com um número bem maior de funcionários divididos em três funções principais: montador, rebitador e mecânico.
 

Características táticas e de voo do Su-35S

*Tecnologia stealth, usada para tornar o avião invisível a radares

*Velocidade máxima: 1400 km/h

*Alcance de voo: 3600 km.

*Alcance de detecção dos alvos em regime ar-ar: 400 km

*Estação de radar de bordo permite rastrear até 30 alvos aéreos e atacar até 8 simultaneamente

Em um mês, essa seção monta três fuselagens traseiras e três seções centrais de fuselagem. Porém, desde o início da montagem até a completa finalização dos trabalhos, são necessários aproximadamente cinco ou seis meses.

“Depois que a fuselagem é montada e todas as partes estão conectadas, o caça parte para a próxima fase. Ele é preenchido com o ‘recheio’ eletrônico, são instalados os motores e outros sistemas”, conta Ígor Leschev, chefe da seção de montagem agregada. “Enfim, todos os sistemas são testados.”

Os sistemas são inicialmente testados em terra e, em seguida, os caças levantam voo. Somente depois de terem passado por todos os testes é que os aviões são pintados e entregues à Força Aérea.

 

 

 

Publicado originalmente pela Rossiyskaya Gazeta 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.