MS-21 promete concorrência acirrada com Boeing e Airbus

Foto: RIA Nóvosti

Foto: RIA Nóvosti

Avião comercial russo de nova geração se prepara para intimidar os gigantes da aviação estrangeiros, com a possibilidade de adaptar estrutura às necessidades dos clientes. Estratégia bem-sucedida do Sukhôi Superjet 100 será usada para divulgar máquina em mercados do Ocidente e recuperar progresso do setor nacional de aviação.

A fabricante de aeronaves russa Irkut começou a produção dos três primeiros modelos de voo para teste do MS-21, também anunciado como o “avião comercial do século 21”. O projeto dessa máquina de nova geração faz parte do principal programa federal para o desenvolvimento da aviação.

Planeja-se construir o primeiro avião já em 2015, cuja a certificação está agendada para o ano seguinte. Depois disso, a aeronave estará finalmente pronta para ser apresentada tanto no mercado russo como estrangeiro.

Para conseguir sobreviver nesse concorrido mercado, o novo avião russo aposta nos requisitos mais modernos, propiciando elevado desempenho de voo e alto nível de eficiência do combustível para economizar com operação e manutenção.

De acordo com os engenheiros responsáveis pelo projeto, o diferencial do MS-21 será seu peso reduzido quando vazio, assim como aerodinâmica aperfeiçoada e motor avançado. Também está previsto o envolvimento dos potenciais clientes no processo do desenvolvimento do avião desde os primeiros estágios do projeto.

Como o MS-21 será um avião com cabine de passageiros “transformer”, as companhias aéreas poderão selecionar a relação ideal entre a largura dos assentos e dos corredores, além de ajustar a capacidade das prateleiras para a bagagem de mão e dos compartimentos de bagagem. 

“Para fazer parte da demanda no mercado é necessário produzir uma aeronave completamente diferente. Hoje, todas as esperanças de um renascimento da indústria da aviação civil estão associadas ao MS-21”, afirma Roman Gussarov, editor-chefe do portal AVIARU Network.

Quantidade X qualidade

Os principais concorrentes do novo avião comercial russo serão as últimas versões do Airbus 320 e do Boeing 737.

Apesar de as aeronaves fabricadas pela Irkut perderem para os gigantes da aviação estrangeiros em quantidade (500 aviões comerciais por ano, em média, contra as 40 aeronaves planejadas pela corporação russa), a experiência bem sucedida de outro projeto russo na área da aviação, o Sukhôi Superjet 100, inspira otimismo.

No Salão Internacional de Aviação MAKS-2013, a empresa aeronáutica russa United Aircraft Corporation assinou contratos no valor de US $ 7,5 bilhões, dividido por igual entre os aviões Sukhôi Superjet e MS-21.

“Desde o ano passado, o Superjet 100 está operando ativamente nos países do Sudeste Asiático e recentemente começaram a realizar voos no México”, conta Andrei Fomin, editor-chefe da revista “Vzliot” (Decolagem).

“Os aviões estão cumprindo sua função com bastante sucesso, portanto, não se pode excluir que, num futuro próximo, surgirão outros clientes, inclusive de países ocidentais. Quanto ao MS-21, serão usadas as mesmas táticas utilizadas pelo Superjet ao abrir caminho para a nova aviação civil nos mercados mundiais”, acrescenta Fomin.

Até o momento, as encomendas da nova máquina se restringem a empresas russas, cuja soma chega a quase 170 modelos. A meta é que futuramente o MS-21 substitua os veteranos Tu-134 e Tu-154, bem como o recente Tu-204, que não pode competir no mercado internacional.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.