Falta de oferta leva russo a criar modelo de bicicleta elétrica

O modelo criado por engenheiro de São Petersburgo Ivan Jivodrov, cuja fabricação em série já foi iniciada Foto: PressPhoto

O modelo criado por engenheiro de São Petersburgo Ivan Jivodrov, cuja fabricação em série já foi iniciada Foto: PressPhoto

Engenheiro de São Petersburgo criou modelo apostando na qualidade dos freios, no design e no preço.

Os meios de transporte movidos pela energia elétrica nunca conseguiram alcançar altos níveis de aprovação pela população da Rússia, porém os últimos anos foram marcados pelo aumento do número de iniciativas do governo do país com o objetivo de estimular o interesse dos seus cidadãos em veículos ecológicos.

No período entre 1º de fevereiro deste ano e 31 de dezembro de 2015, por exemplo, os automóveis elétricos importados estarão isentos da taxa de importação. A regra não se aplica aos automóveis híbridos elétricos. Por meio desta medida, as autoridades russas pretendem avaliar o interesse da população em automóveis elétricos.

De acordo com as previsões dos especialistas, os preços destes veículos ainda superam os dos automóveis tradicionais e não permitem esperar um aumento drástico de vendas, mesmo levando em consideração os baixos custos com combustível. Ao mesmo tempo, as bicicletas equipadas com motores elétricos podem resolver o problema de locomoção e proteção do meio ambiente nas grandes cidades. Um exemplo é o modelo criado por engenheiro de São Petersburgo Ivan Jivodrov, 40 anos, cuja fabricação em série já foi iniciada.

Iniciativa

A criação do veículo elétrico de duas rodas foi iniciada por Ivan com a montagem de bicicletas comuns seguindo as instruções fornecidas pelos materiais didáticos. Os conhecimentos adquiridos ao longo deste processo permitiram-no concluir seu próprio projeto, sem todos os defeitos dos modelos existentes no mercado moderno, tais como a má qualidade dos freios, a aparência desagradável e o preço. Em colaboração com a esposa, o engenheiro elaborou o design do seu modelo e encomendou a fabricação do primeiro lote para uma fábrica chinesa.

O resultado de todos os esforços de Ivan, a Meles, possui aparência de bicicleta soviética com a estrutura dobrável. É possível dobrar o guidom, os pedais e o quadro. Além disso, ela cabe em uma bolsa de tamanho médio. De todos os análogos vendidos na Rússia moderna, a Meles é a mais leve e uma das mais resistentes, pois todos os seus detalhes são feitos de alumínio.

"Ando na bicicleta criada por mim sem problema algum, apesar de pesar mais de cem quilos e do fato de o modelo ser criado para mulheres. Queríamos construir uma bicicleta bonita, leve e prática, para que ela pudesse ser facilmente dobrada e guardada no armário ou transportada dentro de um vagão de trem. Minha esposa e eu tiramos as medidas e moldes das nossas clientes potenciais para fazermos o assento mais confortável", lembra Ivan.

A bateria da bicicleta é carregada em uma fonte de energia elétrica como um celular ou notebook e possui autonomia de cerca de 50 quilômetros. O motor elétrico com uma rápida aceleração até a velocidade máxima de 25 a 30 quilômetros por hora permite se locomover pela cidade sem cansaço físico ou suor, evitando engarrafamentos.

A bicicleta é equipada com freio a disco, cujo funcionamento não é afetado pelos eventuais danos mecânicos às rodas, enquanto a estrutura do seu quadro permite manter a coluna reta e evitar sobrecarga dos braços e pernas durante o movimento. Sem dúvida, a posição inclinada facilita as subidas e o tráfego pela lama, porém a Meles foi projetada para o uso no ambiente urbano. A potência do seu motor elétrico permite a locomoção pelas ruas inclinadas e com má qualidade de asfalto.

Segundo o seu criador, a resistência da bicicleta deve-se às peças da melhor qualidade.

"A qualidade dos produtos feitos na China depende dos custos dos mesmos. Bons materiais fazem um bom produto. O único problema dos fabricantes chineses é a falta de criatividade. Portanto, a elaboração do design foi a minha própria iniciativa", explica o engenheiro.

Investimento

Os recursos destinados ao financiamento do primeiro lote de bicicletas elétricas foram emprestados pelos proprietários dos maiores vendedores destes aparelhos, enquanto o ciclo completo de produção, incluindo a criação do modelo, do design e da preparação de desenhos técnicos, demorou cerca de um ano. O próximo sonho do engenheiro consiste na criação e fabricação em série de um carro urbano movido à energia elétrica, um veículo para todos. Ivan diz que encontra a inspiração no trabalho do empresário americano Elon Musk, um dos fundadores do sistema de pagamentos instantâneos Paypal, que investiu a sua fortuna no desenvolvimento do carro elétrico Tesla.

Na opinião do engenheiro, a bicicleta elétrica Meles (US$ 629) não possui concorrentes no mercado russo devido aos altos preços dos seus análogos europeus e à má aparência e qualidade dos chineses.

Segundo estimativas, no território russo existem cerca de 1.500 bicicletas elétricas, a maioria construída pelos seus próprios donos. Os planos de Ivan incluem a ocupação deste segmento nacional seguida pela expansão do negócio para os países europeus, onde a demanda por transporte ecológico é muito maior.


Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.