País investirá no uso de aviões não tripulados

A ideia é colocar os Vant a serviço de todos os ramos das Forças Armadas da Rússia Foto: ITAR-TASS

A ideia é colocar os Vant a serviço de todos os ramos das Forças Armadas da Rússia Foto: ITAR-TASS

Comandante Geral da Marinha russa, o almirante Vítkor Chirkov disse que os Vant devem ser uma das principais armas dos navios de guerra do futuro.

Os Vant (veículos aéreos não tripulados) são um dos principais temas da imprensa militar moderna e da agenda do Ministério da Defesa russo.

A ideia é colocar os Vant a serviço de todos os ramos das Forças Armadas da Rússia. Como os conflitos militares modernos são caracterizados pela utilização extensiva de aviação, a aplicação de Vants pode ter importância crucial para o desenvolvimento da FAR (Força Aérea Russa ).

Novas tecnologias permitirão não só tornar os Vant mais baratos e mais leves, mas também reduzir o tempo gasto como sua construção. Por exemplo, o Instituto de Fibra Sintética da Rússia desenvolveu uma nova tecnologia para a produção de fios de polietileno de ultra-alto peso molecular de alta resistência. A utilização de materiais com esses fios permitirão reduzir entre 2 e 2,5 vezes o peso da célula do Vant. 

"Na guerra aérea moderna, o desafio de eliminar o risco de perda de pessoal assume especial relevância. A prontidão de unidades aéreas para o combate é, em larga medida, determinada pela disponibilidade de tripulações bem treinadas. Para preparar um piloto qualificado, são necessários mais de dez anos, enquanto a fabricação de um Vant, por mais sofisticado e caro que seja, leva algumas semanas, no máximo", explica o primeiro vice-presidente da Academia de Problemas Geopolíticos, Konstantin Sivkov.

As vantagens de Vants na guerra moderna são melhor percebidas quando estes são usados pela Marinha.

Ao falar sobre o desenvolvimento da aviação naval, o Comandante Geral da Marinha russa, almirante Vítkor Chirkov, disse que os Vant devem ser uma das principais armas dos futuros navios de guerra. "Isso está de pleno acordo com a tendência geral do desenvolvimento da aviação naval dos países mais desenvolvidos do mundo", disse o almirante.

Para especialistas, em um futuro próximo, eventuais conflitos militares serão, em grande medida, caracterizados por confrontos com forças-tarefa de superfície baseadas sobretudo em porta-aviões. Em razão disso, estão sendo criados grupos-tarefa compostos por navios de superfície, submarinos e aviação naval. Todavia, sua eficácia depende da disponibilidade de informações a tempo sobre os alvos recebidas de fontes externas. Por outro lado, as forças-tarefa baseadas em porta-aviões possuem uma poderosa defesa antiaérea, capaz de neutralizar os aviões de reconhecimento inimigos.

Nessas circunstâncias, a criação de Vants capazes de executar missões de reconhecimento e a recriação do sistema naval de reconhecimento por satélite permitem resolver esse problema.

Um Vant deve ter um alcance de 2.000 km a 3.000 km e levar a bordo um poderoso radar, capaz de detectar alvos de superfície a uma distância não inferior a 500 km, assim como aviões de caça e mísseis ar-ar e terra-ar.

Os trabalhos desenvolvidos por centros russos de desenvolvimento em tecnologias aeronáuticas nesse sentido já estão dando resultados. Na mostra internacional Interpolitech-2013, foi apresentado um Vant moderno, o Horizont Air S-100, equipado com um radar de longo alcance. Além disso, a maior empresa aeronáutica da Rússia, a Sukhoi, anunciou seus planos de criar, até 2018, um Vant de ataque pesado, com um peso de 20 toneladas, com as tecnologias usadas no avião de caça de quinta geração T-50. A empresa Sokol está atualmente trabalhando em um Vant com um peso de até 5 toneladas.

Entre outros Vant russos se destacam o Dozor-600, o Inspector-301, o Orlan-10, Fprpost, entre outros, dos quais alguns já foram adotados pelas Forças Armadas e o Serviço Federal de Segurança (FSB, na sigla em russo). 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.