Cinco ideias de Tsiolkóvski que anteciparam a era espacial

Tsiolkóvski era um defensor ferrenho da conquista do espaço pelo ser humano Foto: NASA / Jeff Berkes

Tsiolkóvski era um defensor ferrenho da conquista do espaço pelo ser humano Foto: NASA / Jeff Berkes

Pai da cosmonáutica teórica desenvolveu conceitos tecnológicos que, ao longo dos anos, foram se transformando em realidade.

Em setembro se comemora o 156º aniversário do nascimento de Konstantin Tsiolkóvski. Depois de ter pegado escarlatina quando pequeno, Tsiolkóvski perdeu a sua capacidade auditiva quase por completo, o que lhe impediu de ir à escola como as demais crianças. Mas a educação recebida em casa, associada à sua inteligência e pensamento inovador, levou-o a ideias que pareciam ultrapassar a barreira da fantasia na época.

Eis a seguir  as cinco ideias mais interessantes do cientista, que antecipou alguns aspectos da era espacial. Alguns deles já se tornaram parte da realidade, enquanto outros ainda estão à espera de sua hora.

Aeróstato dobrável e máquina voadora em forma de pássaro

Um dos primeiros projetos de Tsiolkóvski que, embora não tendo sido implementado, atraiu a atenção dos grandes cientistas da época para esse jovem cientista autodidata foi a construção de um dirigível. A originalidade do projeto estava no material do qual deveria ser feita a couraça da aeronave: a cobertura de borracha foi substituída por metal, evitando, assim, reações químicas perigosas, assim como alterava a forma do aeróstato até praticamente se dobrar. Depois de cálculos e experiências, o cientista chegou à conclusão de que as aeronaves construídas de metal não só atenderiam às exigências futuras de conforto e segurança, como também seriam mais rentáveis. 

Continuando o trabalho, Tsiolkóvski desenvolveu um projeto que antecipou em várias décadas o surgimento dos aviões. Tratava-se de um monoplano todo em metal com uma grossa asa curvada, ao qual chamou de “máquina voadora em forma de pássaro”.

Voos de propulsão a jato

A ideia que mais tarde tornaria o nome do cientista famoso no mundo inteiro não teve a ver com voos na atmosfera terrestre, mas no espaço. No seu trabalho “Espaço Livre”, de 1883, Tsiolkóvski utilizou como narrador um homem que se encontra no espaço, sem forças de resistência nem gravidade. É precisamente nesse trabalho que, pela primeira vez, conclui-se que o movimento de propulsão a jato é o único modo possível de deslocação no espaço sideral. O trabalho posterior “A exploração do espaço sideral por meio de dispositivos de reação” fundamentou essa conclusão com simples leis da Mecânica. Foi também aí que Tsiolkóvski provou a capacidade de os foguetes voarem no espaço.

Trem-foguete

Tsiolkovski criou o termo “trem-foguete” para o protótipo de foguetes com múltiplos estágios, isto é, foguetes compostos que começariam o seu movimento na terra para depois levantarem voo e partirem rumo ao espaço sideral. Depois de gastar o combustível, cada um dos foguetes do conjunto deveria se desengatar e ser lançado de volta na terra. O comprimento de cada foguete, segundo o cientista, seria de 30 metros e o diâmetro, de 3 metros.

A serviço do Exército

Uma das ideias de Tsiolkovski teve aplicação no desenvolvimento de armas avançadas. Trata-se do uso da rampa (ponte) para o lançamento de raquetes. Ela não serviu para as naves espaciais, mas é agora usada em sistemas de disparos múltiplo como, por exemplo, no Katiucha, Grad (BM-21) e Smerch (BM-30).

Na época, a criação de tal trem deveria não apenas aproximar o sonho do homem de ir ao espaço, mas também de inaugurar a era das viagens interplanetárias.

Elevador espacial

Os foguetes não foram a única forma de Tsiolkóvski ir para além dos limites da Terra. O cientista foi o primeiro a apresentar a ideia de utilizar uma construção que permitisse dispensar o lançamento de foguetes para transportar cargas ao espaço. Teoricamente, essa estrutura deveria usar um cabo esticado desde a nave espacial até à superfície do planeta. Se for possível implementá-lo no futuro, esse método irá poupar vultuosas quantias de dinheiro, bem como resolver os problemas de danos ambientais provocados pelo lançamento de foguetes.

Ser humano no espaço

Tsiolkóvski era um defensor ferrenho da conquista do espaço pelo ser humano. A ideia da viagem espacial em seu ideal de futuro era indissociável da teoria de evolução da humanidade, Isto é, ao atingir um certo grau de harmonia na Terra, a humanidade começaria a explorar outros planetas, dando origem a seres mais avançados.

O cientista dedicou especial atenção aos problemas biomédicos durante os longos voos interplanetários. Ele foi o primeiro a propor o uso de trajes especiais que protegeriam o ser humano dos efeitos dos fatores externos – um protótipo da roupa de astronauta.

No romance de ficção científica “Vne Zemli” (“Para lá da Terra”), Tsiolkóvski descreveu as colônias espaciais, sugerindo o projeto de uma construção rotatória para criar gravidade artificial. Nela, poderiam ser implementados focos de produção industrial e agrícola. Atualmente, esta ideia se materializou em um projeto de assentamentos cósmicos desenvolvido por cientistas da Universidade de Stanford.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.