Licitação decidirá empresa que vai retirar fragmento de meteorito de fundo de lago

O meteorito, que explodiu no céu da região, assustou os habitantes da cidade e de localidades vizinhas com uma onda de choque Foto: TASS

O meteorito, que explodiu no céu da região, assustou os habitantes da cidade e de localidades vizinhas com uma onda de choque Foto: TASS

Com massa de aproximadamente dez toneladas, meteorito, que explodiu no céu da região em 15 de fevereiro passado, assustou os habitantes da cidade e de localidades vizinhas.

No próximo dia 23, uma licitação pública decidirá a empresa que será responsável pela retirada de um fragmento do meteorito de Tcheliábinsk (sul dos Urais) do fundo do lago Chebarkul em 15 de fevereiro passado. Segundo o caderno de encargos, a vencedora deverá, no prazo de 28 dias após a assinatura do contrato, retirar um pedaço do corpo celeste de forma oval com 600 kg de massa de uma profundidade de, no mínimo, dezesseis metros.

O anúncio oficial de que as autoridades de Tcheliábinsk queriam encontrar e retirar o meteorito do fundo do lago havia sido feito ainda no final de julho.

O meteorito, que explodiu no céu da região, assustou os habitantes da cidade e de localidades vizinhas com uma onda de choque que quebrou as vidraças de muitos edifícios, atingindo 1.600 pessoas.

Segundo avaliações da Academia de Ciências da Rússia, o tamanho do corpo celeste era de vários metros, a massa de aproximadamente dez toneladas e a energia, de várias quilotoneladas. O meteorito entrou na atmosfera a uma velocidade de 15 a 20 quilômetros por segundo (aproximadamente 70 mil quilômetros por hora) e desintegrou-se a uma altura de 30 km a 50 km.

Do ponto de vista técnico, não é muito difícil retirar o meteorito do fundo do lago, assinala o redator-chefe da revista “Novosti Kosmonavtiki”, Igor Marinin:

“Inicialmente é necessário encontrá-lo, depois escavar para que ele possa ser alcançado de todos os lados. Com certeza, ao cair no lago, ele ficou atolado no lodo. Para isso existem dragas especiais flutuantes. Elas levam uma mangueira e varrem a sujeira para os lados. É um trabalho longo. Depois disso, um helicóptero com cabos especiais levanta o meteorito.”

O ministro da Segurança Radioativa e Ecológica do governo regional, Aleksander Galichin, informou que mergulhadores profissionais do serviço de salvamento regional e também organizações especializadas estrangeiras participarão dos trabalhos.

“O serviço de salvamento regional irá dirigir os trabalhos. Também Convidaremos organizações estrangeiras para realizar algumas atividades técnicas. São organizações que dispõem de equipamentos especiais que possibilitam realizar a prospecção do território para encontrar o objeto necessário”, assinala Marina Aleksandrova, secretária de imprensa do Ministério da Segurança Radioativa e Ecológica da região de Tcheliábinsk.

Ainda não se sabe exatamente quais são as organizações estrangeiras que irão participar no projeto.

Também é difícil apontar se descobertas científicas serão feitas após a retirada do meteorito. Alguns especialistas duvidam que se conseguirá encontrar alguma coisa no fundo do lago.

Há até quem duvide da versão da queda de que trata-se de um meteorito. Para o cosmonauta russo Gueorgui Grechko, o que caiu no lago foi o núcleo de um cometa –um corpo de gelo com disseminação de condrite. No lago, diz ele, nada existirá porque o gelo derreteu.


Publicado originalmente pela Voz da Rússia


Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.