China será principal concorrente da Rússia no mercado global de energia nuclear

Atualmente, as principais tarefas do complexo nuclear russo são a “manutenção da segurança, qualidade e confiabilidade na operação de todas as unidades desse setor”, destacou o diretor da Rosatom Foto: Press Photo

Atualmente, as principais tarefas do complexo nuclear russo são a “manutenção da segurança, qualidade e confiabilidade na operação de todas as unidades desse setor”, destacou o diretor da Rosatom Foto: Press Photo

Os atuais competidores EUA, França e Japão serão ultrapassados por causa do custo da mão de obra e equipamentos.

Durante a 1ª Conferência Anual dos Construtores da Indústria Nuclear, realizada em Moscou na última sexta-feira (9), o diretor-geral da estatal de energia atômica Rosatom, Serguêi Kirienko, declarou que a China será o principal concorrente da Rússia no mercado mundial da indústria nuclear.

“Hoje em dia, conseguimos vencer os nossos principais concorrentes, isto é, EUA, França e Japão, em todas as principais licitações. Mas, em pouco tempo, vamos ter que competir não com o reator nuclear americano AP-1000, mas com os chineses”, disse Kirienko, acrescentando que a mudança se dará por causa do custo da mão de obra e equipamentos.

Atualmente, as principais tarefas do complexo nuclear russo são a “manutenção da segurança, qualidade e confiabilidade na operação de todas as unidades desse setor”, destacou o diretor da Rosatom. "O nosso principal desafio é a gestão eficaz de custos e prazos das estruturas.”

A 1ª Conferência Anual dos Construtores da Indústria Nuclear contou com os representantes das empresas líderes de engenharia e projeto da Rosatom, incluindo os profissionais do setor e as prestadoras de serviços independentes que realizam os projetos de construção das instalações nucleares.


Publicado originalmente pela ITAR-TASS

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.