Rússia negocia compra de drones dos Emirados Árabes Unidos

United 40 é fruto do desenvolvimento de um projeto totalmente autônomo dos Emirados Árabes Unidos e não uma cópia de qualquer modelo ocidental Foto: Press Photo

United 40 é fruto do desenvolvimento de um projeto totalmente autônomo dos Emirados Árabes Unidos e não uma cópia de qualquer modelo ocidental Foto: Press Photo

Caso o negócio seja concluído, a Rússia será o primeiro comprador do United 40.

A Rússia está interessada em adquirir dois drones (veículos aéreos não tripulados) estratégicos de reconhecimento United 40 Block 5 dos Emirados Árabes Unidos. Os equipamentos são desenvolvidos por uma empresa local, a ADCOM Systems.

De acordo com informações postadas no site da empresa, esse dispositivo é projetado para voar em altitudes de até 7 mil metros, pode permanecer no ar por mais de 100 horas sem reabastecimento e permite monitorar, em tempo real, a situação no campo de batalha, reunir informações sobre o cenário em que se passam as ações militares e patrulhar as fronteiras. Caso o negócio seja concluído, a Rússia será o primeiro comprador do UNITED 40.

"Nossos militares precisam de grandes drones semelhantes ao Predator americano, no entanto, a indústria nacional não os produz, e os EUA e Israel não querem fornecer tais sistemas para nós”, disse o editor-chefe do portal uav.ru, Denis Fedutinov, em entrevista à Gazeta Russa.

Segundo ele, trata-se da compra não só da fuselagem, mas de todo o complexo, incluindo os sistemas de comunicação, controle e condução do reconhecimento.

No entanto, o especialista ressaltou que o United 40 fez o seu primeiro voo há apenas alguns meses e a empresa desenvolvedora poderá levar até dois anos até a sua completa finalização e solução dos problemas que podem inevitavelmente surgir com as novas máquinas.

“A ADCOM Systems começou com a fabricação de alvos aéreos e depois passou a se ocupar dos drones. Essa empresa possui uma interessante equipe internacional, existem pessoas da Ucrânia, Europa e Índia. A empresa participa ativamente de todas as exposições internacionais”, acrescentou Fedutinov.

O United 40 é fruto do desenvolvimento de um projeto totalmente autônomo dos Emirados Árabes Unidos, e não uma cópia de qualquer modelo ocidental, embora nele, por exemplo, seja utilizado o mesmo motor austríaco do Predator.

“Vale ressaltar que o desenvolvedor está planejando, no longo prazo, construir um drone de ataque na base do UNITED 40. Portanto, se o negócio se concretizar, a Rússia poderá ter acesso a essa classe de dispositivos”, disse o especialista.

Vale lembrar que a Rússia tinha comprado anteriormente um lote de drones táticos de Israel por US$ 53 milhões e posteriormente adquiriu por US$ 400 milhões uma licença para a sua produção.

Essas compras devem ajudar a eliminar o atraso da Rússia em matéria de drones, que ficou mais evidente durante o conflito na Ossétia do Sul, em 2008.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.