Ministro da Defesa anuncia que Exército russo está à procura de programadores

Nos próximos cinco anos, os comandantes do Exército necessitarão de uma grande quantidade de softwares, cuja criação será feita por militares dа companhia científica Foto: Kremlin.ru

Nos próximos cinco anos, os comandantes do Exército necessitarão de uma grande quantidade de softwares, cuja criação será feita por militares dа companhia científica Foto: Kremlin.ru

Nos próximos cinco anos, os comandantes do Exército necessitarão de uma grande quantidade de softwares, cuja criação será feita por militares dа companhia científica.

“Estamos começando uma grande caça de programadores”, anunciou recentemtne o ministro da Defesa russo, Serguêi Choigu, durante reunião com reitores das principais universidades do país, o que surpreendeu o público presente.

Tudo foi esclarecido, no entanto, quando Choigu explicou que o termo “caça” deve ser entendido no sentido positivo da palavra. Nos próximos cinco anos, os comandantes do Exército necessitarão de uma grande quantidade de softwares, cuja criação será feita por militares dа companhia científica.

De acordo com o ministro, esses profissionais terão de traduzir cálculos matemáticos complexos “em volumes e números claros e tangíveis tanto na parte financeira quanto em parâmetros de informação e de velocidade”. 

Além disso, as Forças Armadas têm um grande número de tarefas que precisam ser resolvidas rapidamente.

“Por um lado, temos que vencer uma certa inércia. Por outro lado, gostaríamos que com o estabelecimento de companhias científicas também fosse formada uma nova geração de pessoas que conduzam a ciência militar”, destacou Choigu.

Novos cadetes

O Ministro da Defesa escolheu um momento muito apropriado para expressar as suas ideias. Na sexta-feira (5), foi concluída a seleção de estudantes voluntários para o serviço de companhia científica da Academia da Força Aérea Jukóvski e Gagárin. A competição entre os candidatos foi alta: três candidatos para cada vaga.

Entre os 90 candidatos, 35 recrutas cujos estudos universitários são requeridos na solução de tarefas científicas de caráter militar foram enviados para Voronezh. 

Seus dossiês foram analisados em nove centros de recrutamento regionais e republicanos [da antiga república da URSS]. Os candidatos que não conseguiram entrar no alistamento inicial foram inscritos na reserva. Ela será necessária quando os generais começarem a formar companhias científicas para a Marinha e para as Forças de Defesa Aeroespacial.

Durante a reunião com reitores, Choigu contou que as estruturas das companhias científicas com sua programação de pessoal já foram aprovadas. Para ensinar os cadetes, foram selecionados comandantes e supervisores de pesquisa com vasto conhecimento.

Histórico

Na Academia da Força Aérea, a companhia científica passou a ser comandada por um major de 30 anos, Victor Merzlov, um recente pós-graduado da instituição. Os pelotões serão comandados pelos tenentes-engenheiros sêniores da Aeronáutica Oleg Strachkó, Aleksêi Lizgun e pelo tenente Maksim Stadnikov.

Os novos cadetes não serão separados completamente das regras do Exército. Já nesta quinta (10), eles prestarão o juramento militar; no dia seguinte, terá início o treinamento. Os recrutas aprenderão a atirar com metralhadoras, receberão uma ideia geral de combate e de suas ações na defesa e ataque.

Como soldados comuns, todos os cadetes farão plantões, terão treinamentos físicos, participarão de inspeções de manhã e das chamadas à noite. No entanto, o principal objetivo do serviço e a função básica dos recrutas especiais ainda será o trabalho de pesquisa.  No cotidiano da companhia, a pesquisa ocupará o lugar dos treinamentos especiais, de engenharia, de tiro e outros tipos de combate.

Os cadetes “cientistas” terão uma vida menos severa no quartel. Os novos recrutas serão hospedados na academia com relativo conforto –quatro pessoas por quarto. Cada dormitório está equipado com um computador. E em vez de salas de aula, eles estudarão em laboratórios acadêmicos.

“Depois de passar os primeiros seis meses em fase experimental, na fase seguinte, vamos, junto com o recrutamento de cadetes para as companhias científicas, colocar as requisições para trabalhos científicos, de pesquisa, experimentais e de desenvolvimento”, disse Choigu para os reitores das universidades.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.