Filme sobre Gagárin retoma polêmica em torno da morte do cosmonauta

Gagárin morreu em um acidente aéreo em março de 1968 Foto: ITAR-TASS

Gagárin morreu em um acidente aéreo em março de 1968 Foto: ITAR-TASS

Anúncio de outras versões para o acidente fatal coincidiu com a estreia de "Iúri Gagárin – O primeiro no espaço” nos cinemas russos. Se por um lado o filme poderia se beneficiar com essas histórias, os criadores dessas teorias também aproveitaram a obra para propagar suas ideias.

Na véspera da estreia do filme "Iúri Gagárin. O primeiro no espaço” nos cinemas russos, o cosmonauta Aleksêi Leonov declarou ter conseguido resgatar documentos anteriormente considerados secretos, segundo os quais a razão da morte do primeiro cosmonauta difere do anunciado oficialmente.

Enquanto a conclusão oficial diz que o avião de Gagárin fez uma manobra brusca, entrou em parafuso e se espatifou no solo, Leonov alega que uma outra aeronave teve participação no acidente.

De acordo com a versão que Leonov comunicou aos jornalistas russos, durante o voo tripulado por Seregin e Gagárin, surgiu um outro avião não autorizado. Depois de passar acelerado em meio às nuvens, numa distância de 10 a 15 metros do avião de Gagárin, ele fez o avião do cosmonauta entrar em queda. Como a altitude era baixa, não teria sido possível nivelar o avião a tempo.

Fato é que a verdade sobre a morte de Gagárin revelada pelas autoridades é apenas uma das versões. Iúri Karash, membro correspondente da Academia Russa de Cosmonáutica K. E. Tsiolkovsky comenta que são muitas as histórias contadas sobre o acidente. “O Mikoyan [famoso construtor] julgava que o mais provável era a colisão com uma sonda. Alguns achavam que houve uma explosão da bateria e outros que foi um problema de saúde de Sereguin , que havia desmaiado.”

Porém, os observadores não excluem que a coincidência entre o lançamento do filme e as novas versões da morte do Gagárin não foi mero acaso.

“Provavelmente, esses eventos estão ligados entre si. Talvez os produtores do filme relacionaram isso de alguma forma. Mas eu duvido que isso irá ajudar de alguma maneira a distribuição  do filme”, sugere Aleksandr Golubtchikov, editor-chefe da revista on-line “Nastoiachtie kino”.

Segundo ele, há pouca propaganda sobre a obra e são poucas as sessões onde é possível assistir ao filme. “O lançamento do filme provavelmente permitiu Leonov contar sobre a sua hipótese e, de alguma forma, chamar novamente a atenção para ela”, comenta Golubtchikov. Leonov disse que vai manter em segredo o sobrenome do aviador que pilotava o segundo avião.

 

Publicado originalmente pelo bfm.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.