Depois da Índia, T-90S quer invadir América Latina

“O valor do tanque está em seu poder de fogo, capacidade de manobra e robustez”, Vladímir Pútin Foto: RIA Nóvosti

“O valor do tanque está em seu poder de fogo, capacidade de manobra e robustez”, Vladímir Pútin Foto: RIA Nóvosti

Econômico e com acessórios que otimizam atividade noturna, os tanques T-90S têm sido destaque em feiras de defesa.

Um dos destaques da quarta edição do Salão Internacional de Tecnologia para Defesa e Prevenção de Desastres Naturais (SITDEF), que aconteceu em Lima de 15 a 19 de maio, foi a terceira geração do tanque de batalha T-90S. Produzido pela russa Uralvagonzavod, o armamento tem sido exportado para Ásia, Europa, África e América Latina durante a última década.

“Trata-se de uma peça de armamento que dispara com precisão e se move rapidamente. As equipes sobem no tanque como em uma bicicleta. Ele desliza. Incrível!”, comentou o presidente russo Vladímir Pútin durante a Ural Arms Expo. 
O tanque tem vantagem sobre os concorrentes em termos de capacidade de manobra e adaptação a situações extremas, e é vendido por um valor que varia de US$ 2,77 milhões a US$ 4,25 milhões por unidade. 

O T-90S dispõe de um canhão de tanque liso 2A46 de 125 milímetros e uma metralhadora montada de 12,7 milímetros controlada remotamente, que permite ao comandante mirar e atirar em alvos localizados em uma couraça blindada. O tanque tem recebido elogios por seu design simples e de fácil atualização, bem como pelo curto espaço de tempo necessário para treinar as equipes que irão usá-lo. Além disso, foi apelidado de “tanque voador” devido a sua capacidade de saltar até 10 metros no ar a partir de um trampolim.

“Em termos de contenção, o tanque só perde para as armas nucleares”, observou Dilbag Singh, adido militar da embaixada da Índia em Moscou, depois de acompanhar uma demonstração do T-90S. Seu governo já encomendou centenas desses tanques, em contratos avaliados em bilhões de dólares.

Econômico e noturno

Com um único tanque de combustível, o T-90S pode percorrer até 550 km a uma velocidade de 60 quilômetros por hora. Ele está equipado com armas antitanque guiadas a laser e detector térmico de 3,5 quilômetros de alcance. Isso faz do tanque o veículo ideal para combate noturno sob condições extremas. Também há a possibilidade de se implantar uma arma de pulso eletromagnético.

“Hoje, o T-90S é o tanque que apresenta maior potencial”, afirma Viatcheslav Davidenko, representante da Rosoboronexport, a única exportadora autorizada de armas e equipamentos militares da Rússia. “O valor do tanque está em seu poder de fogo, capacidade de manobra e robustez. A Rússia já forneceu mais de mil T-90 para clientes estrangeiros até o momento.”

A Uralvagonzavod fica na cidade de Níjni Taguil, nos Montes Urais, e apresentou faturamento de quase US$ 5 bilhões em 2011. É a maior fabricante de tanques do mundo, com mais de 30 fábricas de produção, centros de pesquisa e desenvolvimento, e laboratórios de design que desenvolvem equipamentos civis e militares. 

O tanque de guerra T-90S responde por cerca de um quinto da produção total de veículos de combate da empresa. De acordo com o Relatório de Defesa de Moscou, a companhia Uralvagonzavod fabricou em 2008, sozinha, mais tanques do que as fábricas de todos os outros países do planeta.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.