Exército usará veículos aéreos não tripulados no controle de incêndios

As principais causas dos incêndios são ainda a descuidada manipulação do fogo e a queima de lixo e de folhagem do ano anterior Foto: RIA Nóvosti

As principais causas dos incêndios são ainda a descuidada manipulação do fogo e a queima de lixo e de folhagem do ano anterior Foto: RIA Nóvosti

Ministério de Defesa da Rússia informou estar pronto para a utilização de mais de 38 mil pessoas e mais de 4.500 unidades de equipamentos na eliminação das consequências de catástrofes naturais sazonais sobre o país.

O Ministério da Defesa pretende utilizar veículos aéreos não tripulados no combate a incêndios, informou o comandante das forças terrestres, coronel-general Vladímir Chirkin.

“Para reconhecimento de áreas que correm riscos de incêndio e de inundação, planejamos empregar este tipo de veículo, que se encontra em unidades de reconhecimento”,  disse o comandante-chefe.

Atualmente, na região de Amur, das república da Buriácia e de Tuva, foram identificados mais de 50 focos de incêndio, informou Chirkin.

“Na zona da responsabilidade do distrito militar Oriental encontram-se 32 objetos do Ministério da Defesa da Federação Russa potencialmente a perigo”, disse Chirkin. 

“Destes, os mais a perigo são quatro objetos na guarnição territorial de Amur e um na guarnição territorial da República da Buriácia”. 

Conforme transmitido pela agência de notícias “RIA Nóvosti”, como medida de precaução, os militares araram o terreno e verteram água nos depósitos e bases de armazenamento de equipamento de foguetes e  munições.

Em prontidão

Conforme informou o vice-ministro da defesa da Federação Russa, general do exército Arkádi Bakhin, o Ministério de Defesa está pronto para a utilização de mais de 38 mil pessoas e mais de 4.500 unidades de equipamentos na eliminação das consequências de catástrofes naturais sazonais sobre o território da Rússia.

O grupo criado lutará não só contra incêndios florestais, mas também com bloqueios de gelo nos rios. A agência de notícias “Itar-Tass” lembrou que o ministro da defesa russo Serguêi Shoigu ordenou o estabelecimento de uma sede operacional para a administração de forças e a alocação de fundos pelo ministério para a eliminação de consequências das catástrofes naturais sazonais.

De acordo com Bakhin, em primeiro lugar, foi reforçado o agrupamento de forças e recursos no Extremo Oriente, com a transferência de vários aviões de transporte militar para o combate de incêndios em áreas florestais. 

“As sedes operacionais nos locais operam ininterruptamente e trabalham na coordenação com os centros regionais do Ministério de Situações de Emergência da Rússia”, explicou Bakhin.

Ele ressaltou que a entidade já se preparou antecipadamente para o combate de catástrofes naturais, uma vez que se previa o desenvolvimento de condições de perigo de incêndio, especialmente na região do Extremo Oriente.

A propósito, de acordo com o serviço de imprensa do Rosleskhoz (Agência Federal Florestal da Rússia), foram registrados 70 incêndios florestais em uma área total de mais de 9,2 hectares.

Sibéria e Extremo Oriente

Situação mais complicada está sendo observada na Sibéria e no Extremo Oriente. Em Tuva, o fogo cobre mais de 1.000 hectares de floresta; na região de Amur,  mais de 5.000 hectares e na região autônoma Judaica, mais de 2.000 hectares.

No entanto, o Rosleskhoz  informou que “os incêndios não oferecem nenhuma ameaça para as áreas habitacionais e entidades econômicas”.  Por causa do fogo, foi implantado o regime  de “situação de emergência”  nas quatro áreas da Região de Amur.

“Além disso, estão proibidas visitas a florestas em 16 regiões do país: Tuva, Kom, Mordóvia, Ulianovsk, Voronezh, Tambovsk Lipetsk,  Kemerovsk, Riazan, Belgorod,  Tver, Cheliabinsk, Moscou, Perm e Amur e regiões costeiras”, informa o Rosleskhoz .

As principais causas dos incêndios são ainda a descuidada manipulação do fogo e a queima de lixo e de folhagem do ano anterior.

De acordo com previsão recente, o número de incêndios deverá crescer. Militares também estão participando do monitoramento de situações de incêndio no país.

“O Ministério da Defesa, juntamente com o Ministério de Situações de Emergência da Rússia, organizações territoriais e entidades do Rosleskhoz, está organizando um monitoramento ininterrupto de situações de incêndio em todo o território da Federação Russa, uma localização operacional e a eliminação de incêndios florestais na Zona Militar Leste”,  disse Bakhin.

 

Publicado originalmente pela Rossiyskaya Gazeta

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.