Medvedev aumenta meta de rearmamento nacional para 75% até 2020

Rearmamento chegará a 100% em algumas unidades Foto: AP

Rearmamento chegará a 100% em algumas unidades Foto: AP

Primeiro-ministro russo se referiu à escala atual de rearmamento em tempos de paz como “sem precedentes”.

A participação de novas armas em serviço nas forças armadas russas deve alcançar 75% até 2020 para garantir a capacidade de defesa do país, informou o primeiro-ministro Dmítri Medvedev na última segunda-feira (6).

“Temos vários grandes programas de rearmamento planejados até 2020”, declarou Medvedev em uma reunião com os veteranos da Segunda Guerra Mundial.

“Nosso objetivo é que a proporção das novas armas nas forças armadas fique em torno de 70 e 75%, e em 100% em algumas unidades”, completou.

Autoridades russas haviam previsto anteriormente metas de rearmamento de 30% em 2015 e 70% até 2020.

O primeiro-ministro russo se referiu à escala atual de rearmamento em tempos de paz como “sem precedentes”, comparando-a com a da Segunda Guerra Mundial e do período pós-guerra.

“Temos esperança de que será possível atingir esse objetivo, pois é vital para a capacidade de defesa da Rússia”, disse Medvedev.

Com a alta dos preços nos mercados mundiais do petróleo e gás, o governo russo foi capaz de alocar US$ 730 bilhões para o seu ambicioso programa de rearmamento das forças armadas até 2020.

O programa prevê a compra de oito submarinos nucleares estratégicos equipados com mísseis balísticos Bulava e 600 aeronaves, além de sistemas de defesa aérea S-400 e S-500 e outros tipos de armamento avançado.

  

Publicado originalmente pela RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.