“Tripulação a ser enviada a Marte deve ser completamente compatível”

Ilustração: NASA

Ilustração: NASA

A fundação sem fins lucrativos Inspiration Mars Foundation anunciou o plano de enviar em uma cápsula espacial modificada Dragon duas pessoas rumo a Marte. Conforme relatado no site oficial da entidade, o voo levará 501 dias. Ideia é enviar um casal de meia-idade.

Em entrevista ao jornal “Izvéstia”, o cosmonauta Gueórgui Grechko comentou o plano do bilionário Dennis Tito de enviar, em 2018, uma nave espacial tripulada com um casal a bordo para Marte.

"Eles devem ser submetidos a testes psicológicos de compatibilidade. Na hora de formar tripulações espaciais, os psicólogos trabalham individualmente com cada tripulante e, em seguida, com toda a tripulação para ver sua compatibilidade", disse Grechko.

"Um casal a ser selecionado para a missão marciana deve ser compatível e ser capaz de passar junto um ano e meio. Em uma missão espacial prolongada, a maior dificuldade é a ausência daquilo que rodeia uma pessoa na Terra: a cultura, livros, viagens etc. Tudo isso é substituído pelo outro elemento da tripulação."

"É melhor a tripulação de uma expedição tão prolongada ser composta por dois amigos. Eu e Iúri Romanenko não brigamos nenhuma vez enquanto estivemos em órbita durante 96 dias. Teoricamente, é possível considerar a hipótese de enviar um casal, mas deve ser um casal que está junto pelo menos 10 anos e viverá por outros 50 anos depois da missão", completou o cosmonauta.

A fundação sem fins lucrativos Inspiration Mars Foundation anunciou o plano de enviar em uma cápsula espacial modificada Dragon duas pessoas rumo a Marte. Conforme relatado no site oficial da entidade, o voo levará 501 dias.

O lançamento da expedição está previsto para 5 de janeiro de 2018 e seu retorno é esperado para 21 de maio de 2019. O veículo voltará ao ponto de partida sob a ação da gravidade, sem usar seus motores.

Tito, criador da Fundação, disse que a ideia é enviar um casal de meia-idade.

"Existe um perigo até agora não neutralizado em relação a uma expedição a Marte. Eu me refiro às mais diversas radiações presentes no espaço: a solar, a interestelar, a produzida pelas explosões de supernovas e assim por diante. Uma espaçonave comum é feita de alumínio fino e não protege das radiações espaciais. Por outro lado, é impossível construir uma nave espacial com chumbo para proteger a tripulação das radiações nocivas. Pode-se construir um compartimento de chumbo onde a tripulação se abrigue das radiações perigosas, mas, após 501 dias de voo, o chumbo também vira uma fonte de radiação. Um voo espacial tão prolongado pode ser mortal para os tripulantes", disse Grechko.

Vale notar que um voo a Marte só será possível com uma determinada posição dos planetas em relação uns aos outros. Após 2018, outra chance de voar ao planeta vermelho só surgirá em 2031.

 

Publicado originalmente pelo Izvéstia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.