Cientistas siberianos querem criar biochips que detecta doenças infecciosas

Partículas minúsculas de análises clínicas prometem detectar simultaneamente mais de 100 tipos de enfermidades.

Cientistas do Centro de Pesquisa em Virologia e Biotecnologia Vektor, na cidade siberiana de Novosibirsk, estão desenvolvendo biochips capazes de detectar simultaneamente mais de 100 doenças infecciosas. Para realizar o teste, é necessária apenas uma gota de sangue.

“Estamos trabalhando em cooperação com outros institutos para desenvolver um método imunofísico baseado em biochips, onde são aplicados anticorpos para a identificação de doenças infecciosas”, explicou aos repórteres o diretor-geral do Centro, Aleksandr Sergueev.

Na última terça-feira (5), o diretor do Centro Vektor e o presidente do Instituto de Física de Semicondutores e da sucursal siberiana da Academia de Ciências da Rússia, Aleksandr Aseev, assinaram um acordo de cooperação científica e tecnológica para dar continuidade aos trabalhos.

 

Publicado originalmente pela agência Ria Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.