Força Aérea Russa adota novo míssil

X-38. Foto: wikimedia.org

X-38. Foto: wikimedia.org

O X-38 foi projetado pela corporação Mísseis Táticos, com sede na cidade de Korolev, nos subúrbios de Moscou. O projeto foi iniciado nos anos 1990, é totalmente russo e apresenta uma série de características que permitem qualificá-lo como arma de nova geração.

No final de dezembro de 2012, a FAR (Força Aérea Russa) recebeu um novo míssil "ar-terra" de curto alcance, o X-38, projetado para o avião de quinta geração T-50.

"Os testes com o míssil, totalmente secretos, foram realizados durante todo o ano de 2012. Agora, os primeiros exemplares de produção em série estão sendo entregues às tropas para serem instalados em bombardeiros táticos Su-34 e aviões de caça Mig-29CMT. No futuro, os mísseis serão também instalados nos aviões de caça Su-35S e nos modernizados Su-30", disse uma fonte do comando geral da FAR ao jornal “Izvéstia”.

O míssil X-38 foi projetado pela corporação Mísseis Táticos, com sede na cidade de Korolev, nos subúrbios de Moscou. O projeto foi iniciado nos anos 1990, é totalmente russo e apresenta uma série de características que permitem qualificá-lo como arma de nova geração.

Em primeiro lugar, o X-38 pode levar diferentes munições e ogivas autoguiadas de diferentes tipos. Em segundo lugar, possui asas dobráveis e pode, portanto, ser transportado dentro de um avião.

Segundo a fonte contatada pelo jornal, os mísseis táticos modernos, como o russo X-29 ou o norte-americano Maverick, não têm asas dobráveis, razão pela qual são fixados nos pontos duros sob as asas e fuselagem.

Só os mísseis de cruzeiro estratégicos, como o russo X-101 e o americano AGM-129, possuem asas dobráveis e são transportados por bombardeiros de grande porte.

Os mísseis e bombas instalados abaixo das asas aumentam a resistência do ar e, como consequência, o consumo de combustível. Por essa razão, os bombardeiros que operam em rotas de longo alcance transportam os mísseis nos compartimentos internos.

Os autores do X-38 partiram da tese de que aeronaves invisíveis devem ter o menor número possível de superfícies refletoras e não podem usar, portanto, armamento sob as asas.

Ainda de acordo com a fonte, apenas quatro asas grandes do míssil são dobráveis, enquanto as demais oito são fixas e não o impedem de caber no compartimento.

Uma das versões do X-38 usará o sistema Glonass (sistema de localização por satélite) para se orientar durante o voo.

Nos atuais conflitos no Cáucaso, Afeganistão, Oriente Médio, é difícil identificar um alvo a partir do ar, mesmo quando um avião é guiado a partir da terra. Isso porque as partes beligerantes utilizam meios e métodos de camuflagem cada vez mais sofisticados. Em áreas arborizadas ou urbanas, o desafio se torna ainda mais difícil.

Os alvos na terra têm sido marcados tradicionalmente com sinais de fumaça. Mas esse método é pouco confiável e depende do vento e das condições meteorológicas.

Agora, para marcar um alvo, basta transmitir suas coordenadas ao satélite. Os sistemas GPS e Glonass são usados para guiar bombas, como a americana JDAM  e a russa KAB-E.

Guiado por satélite

A partir de agora, a Rússia terá um míssil guiado por satélite, concluiu a fonte entrevistada pelo jornal.

Outra fonte, que representa a indústria armamentista, acrescentou que o míssil X-38 pode ser equipado com buscadores por radar, a laser ou infravermelho.

"Os alvos, o terreno e as condições meteorológicas são sempre diferentes. Por isso, a escolha de um buscador depende da missão fixada. Um avião pode levar vários X-38 equipados com buscadores diferentes", disse a fonte.

O especialista militar independente e co-autor do livro "O Novo Exército russo", Anton Lavrov, acredita que o míssil X-38 vai aumentar significativamente o potencial de ataque da aviação russa.

"As armas de alta precisão continuam a ser o maior problema da FAR. O exército russo não possui armas modernas, embora alguns exemplares sejam exportados para outros países em grande quantidade. A aviação russa utiliza armas criadas na época soviética. Ao adotar o X-38, subimos logo a um patamar moderno sem passar por uma fase intermediária", disse Lavrov ao “Izvéstia”.

O X-38 pode atingir um blindado em manobra e instalações fixas a uma distância de 3 km a 40 km. O peso da ogiva é de 250 kg.

 

Para a versão na íntegra do artigo em russo, acesse: http://izvestia.ru/news/542941#ixzz2I8FyrIXW

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.