Ministério da Defesa investe na compra de novos caças Su-35

Su-35. Foto: mil.ru

Su-35. Foto: mil.ru

Enquanto o avião de quinta geração T-50 está em testes, a FAR (Força Aérea Russa) investe na compra de uma grande quantidade de aviões de caça pesados Su-35.

Em recente comunicado, o Ministério da Defesa russo afirmou que a FAR (Força Aérea Russa) receberá 12 aviões de caça multimissão Su-35 em 2013.

Em 2011, a empresa de aeronáutica Sukhoi entregou dois Su-35 à FAR –em 2012, outros seis foram entregues.

Até 2020, a FAR pretende comprar cerca de 90 caças Su-35, disse o porta-voz da FAR, Vladímir Drik. Ao todo, a FAR tem um contrato com a empresa Sukhoi para a compra de 244  aeronaves (caças e bombardeiros táticos) desde 2008.

O Su-35, ou Flanker-E+ na classificação da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), é um avião de caça multimissão de geração 4++, um conceito convencional, indicando apenas que o avião tem uma performance próxima da do caça de quinta geração e atende a quase todos os requisitos básicos do mesmo, com a única exceção de não utilizar a tecnologia stealth.

O primeiro protótipo do Su-35 foi montado no verão de 2007 e apresentado no Salão Internacional de Aeronáutica e Espaço MAKS-2007. Em 2008, começaram os testes.

No Salão MAKS-2009, a Sukhoi fechou com o Ministério da Defesa o maior contrato de entrega de aviões das últimas décadas, segundo o qual 48 Su-35s devem ser entregues à FAR entre 2012 e 2015. Um contrato semelhante pode ser feito para o período de  2015 a 2020.

Em julho de 2010, a Sukhoi anunciou ter concluído seu programa de testes do Su-35, que confirmaram as características declaradas da aeronave, inclusive sua supermanobrabilidade, e estar pronta para entregá-lo à FAR para os testes finais em cenários que repliquem diferentes situações de combate.

Especificações

A aeronave possui uma célula projetada para 6.000 horas de voo (ante 2.500 e 4.000 horas nos modelos anteriores), um radar de matriz ativa faseada capaz de detectar grandes alvos aéreos, como aviões AWACS ou bombardeiros B-52, a uma distância de até 400 km e um detector infravermelho de 80 km de alcance que ainda é capaz de detectar alvos terrestres e guiar bombas áreas.

"O Su-35s é uma versão atualizada do Su-27SM3, que deve substituir o famoso avião de caça Su-27 e suas modificações", disse Vladímir Drik.

"Até 2020, a FAR planeja comprar cerca de 90 Su-35."

Levando a bordo equipamento e armamento moderno e sofisticado, o Su-35s é muito fácil de pilotar.

"Os pilotos não terão dificuldades em se adaptar ao Su-35, mas precisarão de conhecimentos e competências adicionais para lidar com ele", disse o piloto de provas Serguêi Bógdan.

No mercado externo, o Su-35 vai enfrentar uma forte concorrência por parte dos caças americanos F-15 e  F-16, os europeus Rafale, Eurofighter e Gripen e o novo avião americano de quinta geração F-35.

Já no mercado interno, vai competir com o avião de quinta geração T-50, projetado para servir de contrapeso para o famoso F-22 dos EUA.

Bógdan considera o Su-35 um grande êxito da indústria aeronáutica nacional no campo da aviação militar. Na sua opinião, a "direção do avião é leve, ele é obediente e enérgico na  manobra e muito confiável e seguro em voos executados com o uso do controle de vetor de empuxo".  

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.