Brics lança incubadora para empregadores internacionais

Rede vai incrementar mobilidade estudantil em universidades dos cinco países do grupo.

Rede vai incrementar mobilidade estudantil em universidades dos cinco países do grupo.

Grigóri Sissoev/ Ria Nôvosti
Seminário em Moscou reuniu representantes ministeriais e educacionais de mais de 20 países para discutir Rede Universitária do Brics, que começa a operar em 2017.

O seminário "Brics, cooperação para o desenvolvimento", ocorrido no final de outubro na Universidade Russa da Amizade dos Povos, em Moscou, reuniu 150 participantes de mais de 20 países e resultou em novos projetos para incrementar a interação entre universidades e empregadores internacionais na seleção e treinamento de estudantes internacionais, assim como no desenvolvimento de programas educacionais.

O primeiro programa da Universidade em Rede do Brics começará a funcionar em 2017. Por meio da rede, os estudantes das universidades afiliadas poderão transitar entre as instituições participantes até a graduação, recebendo ao final do curso dois diplomas.

"Isso envolve uma rede de cooperação nos programas de mestrado e doutorado, assim como possíveis projetos científicos conjuntos. O Brics está lançando sua própria incubadora de treinamento de pessoal, e os cinco países que integram o grupo - Rússia, Brasil, Índia, China e África do Sul - estão agora criando o maior espaço educacional do mundo", diz a vice-reitora de mobilidade acadêmica da Universidade da Amizade dos Povos, Larissa Efremova.

A Rede Universitária do Brics está sendo criada seguindo um padrão de projetos similares já operativos nas universidades da CEI (Comunidade dos Estados Independentes) e da Organização para Cooperação de Xangai.

O principal elemento da plataforma é o incremento da mobilidade dos  programas acadêmicos das instituições afiliadas.

"Cada país oferecerá seus programas competitivos mais populares, e há áreas de treinamento que já foram aprovadas: recursos aquáticos, recursos para economia de energia, treinamento de especialistas no campo econômico e de tecnologia da informação", completa.

Um dos propósitos da Rede Universitária do Brics é qualificar especialistas voltados para demandas específicas das economias nacionais dos países envolvidos no projeto.

"A África do Sul, por exemplo, treina especialistas para as áreas de seus interesses, enquanto a Universidade Russa da Amizade dos Povos prioriza a qualificação em medicina, agronomia e veterinária", diz Efremova.

Cerca de 50 instituições de ensino superior dos países do Brics foram selecionadas para participar da rede.

Da Rússia, as universidades mais bem rankeadas estão no projeto, como a Universidade Estatal de Moscou (Lomonossov), a Universidade da Amizade dos Povos, a Escola Superior de Economia, a Universidade Federal dos Urais, a Universidade Politécnica de Tomsk, entre outras.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.