Em Moscou, Brics focarão em diretrizes para uso consciente da água

Além de saúde, ausência de água potável afeta produção em diversos setores

Além de saúde, ausência de água potável afeta produção em diversos setores

Alamy/Legion Media
Conferência sobre recursos hídricos com cinco Estados-membros do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) acontecerá em 13 e 14 de outubro. Objetivo é deliberar sobre aspectos internacionais do uso da água.

Um dos focos da conferência do Brics sobre o uso criterioso de recursos hídricos, que acontecerá em 13 e 14 de outubro em Moscou, será o monitoramento da eficiência do uso da água. A solução de problemas relacionados aos recursos hídricos exige uma abordagem integrada para a exploração, bem como o desenvolvimento de uma infraestrutura de gestão da água e das tecnologias de reuso, afirmam os organizadores.

“Muitas questões em torno da exploração e da proteção dos recursos hídricos têm carácter internacional, e são relevantes não só para a Rússia, mas também para os países parceiros do Brics”, ressaltou, em nota, o Ministério da Educação e Ciência russo, que será um dos moderadores.

Além de os recursos hídricos serem necessários para manter a saúde de humanos e outros organismos vivos, também são essenciais para os processos de produção na maioria dos setores da economia.

“A discussão sobre a crise da água no mundo está muito atrasada. Parece que o planeta tem grandes recursos hídricos, mas esses são distribuídos de forma desigual. Não podemos confiar quanta água haverá em certos lugares no ano que vem”, diz Vladímir Kirillov, chefe de laboratório no Instituto da Água e de Problemas Ecológicos da Academia Russa de Ciências.

“Há questões não apenas relacionadas com a quantidade de água, mas também com a qualidade. Tudo depende de seres humanos. Ambos os itens exigem acompanhamento cuidadoso. O atual sistema de monitoramento não atende às necessidades modernas. Acredito que essa será uma das questões discutidas pelos países do Brics.”

A importância da conferência para os Brics foi destacada em reunião recente entre os ministros da Agricultura da Rússia, Aleksandr Tkatchev, e da China, Han Changfu.

No encontro também foram analisadas as possibilidades de fornecimento de água da Rússia para as regiões áridas da China, em um acordo que pressupõe o envio de até 70 milhões de metros cúbicos de água através do Cazaquistão.

“Estamos prontos para propor o desenvolvimento de um projeto para a transferência de água potável da região de Altai, através do Cazaquistão, para a região autônoma de Xinjiang Uygur, na China. Em breve vamos realizar reuniões de consulta com representantes do Cazaquistão sobre essa questão”, disse Tkatchev após a reunião.

Cinco áreas de destaque

Em outubro passado, a capital russa sediou uma reunião entre ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação dos países do Brics, onde foi assinada a Declaração de Moscou, refletindo as principais direções da cooperação em médio prazo.

O documento dedicou uma seção ao estabelecimento de uma plataforma de pesquisa conjunta e inovação, para assegurar uma abordagem coordenada entre as comunidades científicas locais.

Também foram selecionadas cinco grupos científicos, com cada país responsável por uma área específica: recursos hídricos e controle sobre a poluição da água (Rússia); prevenção e redução dos efeitos de desastres naturais (Brasil); tecnologias geoespaciais e sua aplicação (Índia); fontes novas e renováveis ​​de energia e eficiência energética (China); e astronomia (África do Sul).

Originalmente publicado pelo jornal Izvéstia

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.