Intercâmbio será grátis na Rede Universitária do Brics

“Estudos do Brics” é uma das áreas prioritárias do programa.

“Estudos do Brics” é uma das áreas prioritárias do programa.

Reuters
Alunos poderão participar de programas internacionais dentro do grupo gratuitamente. Áreas prioritárias já foram pré-definidas.

Criada em novembro de 2015, a Rede Universitária do Brics iniciará, no início de 2017, seus primeiros programas de intercâmbio, que serão gratuitos para alunos das faculdades participantes do programa.

As datas exatas de início dos intercâmbios serão determinadas em meados de 2016, durante a primeira conferência geral da rede. O evento acontecerá em Iekaterinburgo, nas instalações da UrFU (da sigla em russo, Universidade Federal dos Urais).

Durante a conferência também serão definidos os membros que farão parte da rede. Na primeira fase, serão inclusas, no máximo, 12 universidades de cada país.

"A rede ajudará a aumentar a mobilidade acadêmica, o principal recurso da educação moderna", diz a diretora do Instituto de Educação da Escola Superior de Economia, Irina Abánkina.

Isso se refere não só à mobilidade estudantil, mas também dos professores, assim como da "transmissão das melhores práticas e oportunidade de criação de plataformas para estágios", segundo ela.

"Com o desenvolvimento econômico dos países do Brics, podemos usar o potencial de cooperação e integração de programas das universidades de todos os países participantes para a busca de novas soluções e a formação de equipes internacionais", completa.

Instituição coordenadora

A UrFU, em Iekaterinburgo, coordena as atividades das universidades russas na criação da rede.

Além disso, a instituição abriga o Centro de Estudos do Brics, entidade que formulou a documentação russa da Rede Universitária do Brics.

"A principal tarefa da Rede Universitária é estabelecer um amplo programa de mobilidade acadêmica nos países do Brics, cuja integração na área da educação está muito atrasada em relação à área econômica, por exemplo", diz o vice-reitor para relações internacionais da UrFU, Maksim Khomiakov.

"Na prática, a formação de especialistas com experiência intercultural garantirá a realização de projetos especializados dentro do próprio Brics. O primeiro desses é o Novo Banco de Desenvolvimento. Atualmente, existe uma grande demanda por profissionais com conhecimento prático de um país específico do Brics", disse Khomiakov à Gazeta Russa.

Áreas e financiamento

Em sua primeira fase de implantação, o mecanismo servirá como uma rede de intercâmbios acadêmicos entre as universidades participantes.

Inicialmente, a rede cobrirá programas de mestrado e doutorado em seis áreas prioritárias: energia, TI (tecnologia da informação) e segurança da informação, estudos dos Brics, ecologia e alterações climáticas, recursos hídricos e combate à poluição e economia.

As instituições escolhidas deverão receber apoio dos próprios países para o financiamento dos intercâmbios dentro da Rede Universitária do Brics.

No caso da Rússia, o orçamento estatal cobrirá determinadas vagas para estudantes da rede.

Os intercâmbios serão gratuitos aos alunos e, para concorrer às vagas, eles terão que se inscrever em cursos de pós-graduação das universidades participantes da rede nas áreas prioritárias pré-definidas.

Ao concluir o intercâmbio, o aluno receberá diploma da universidade em que concluir oficialmente o curso e um certificado da Rede Universitária do Brics.

Ainda se considera a possibilidade de concessão de diplomas de ambas as universidades cursadas nos Brics, além do certificado da rede.

Universidade Federal dos Urais

A UrFU (da sigla em russo, Universidade Federal dos Urais) foi fundada em 2011 e tem mais de 1.500 alunos estrangeiros, entre eles, 200 chineses. A instituição possui mais de 400 parcerias em todo o mundo e, atualmente, implementa programas de cooperação com diversas universidades brasileiras, como a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e a Unesp (Universidade Estadual Paulista), além de estabelecer contatos com pesquisadores da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). A UrFU figura no ranking das 10 melhores universidades russas e ocupa 77º lugar no ranking QS BRICS.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.