Brics assinam documento para rede universitária

Cada ministério da Educação dos países do Brics agora tem a tarefa de determinar cerca de 12 universidades que serão membros da rede.

Cada ministério da Educação dos países do Brics agora tem a tarefa de determinar cerca de 12 universidades que serão membros da rede.

brics2015.ru
Estudo superior na rede será gratuito, segundo ministro da Educação russo.

Os representantes dos ministérios da Educação dos países do Brics (Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul) assinaram o Memorando de Cooperação da rede universitária do Brics nesta quarta-feira (18) em Moscou.

A ideia foi proposta ainda em novembro de 2013 em encontro entre os ministros em Paris.

"A evolução da iniciativa de criação da Rede Universitária do Brics terá impacto positivo sobre a qualidade da educação superior russa e reforçará as parcerias e cooperação entre as universidades desses países", disse o ministro da Educação e Ciências da Rússia, Dmítri Livanov.

Cada ministério da Educação dos países do Brics agora tem a tarefa de determinar cerca de 12 universidades que serão membros da rede.

"Essas universidades deverão ser ativas em pelo menos uma das áreas prioritárias determinadas: energia, computação, segurança da informação, pesquisa do Brics, tecnologia de mudança do clima, recursos aquíferos e economia", disse o vice-ministro russo da pasta, Aleksandr Klimov.

"A Rede Universitária do Brics será formada pelas universidades líderes dos cinco países e dará novas possibilidades para o intercâmbio de estudantes e professores e pesquisas científicas conjuntas", acrescenta Livanov.

Ele também garantiu que os estudos na Rede Universitária serão gratuitos. "Todos os estudos na Rede Universitária serão gratuitos, ou seja, eles serão pagos pelos países do Brics de acordo com seus estudantes", afirmou o ministro.

Com material da agência Tass.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.