Os fantasmas de Moscou

Foto: Elena Potchiótiva

Foto: Elena Potchiótiva

Não sei até que ponto isso é verdade, mas muitos russos acreditam que há certos lugares em Moscou em que você pode vivenciar a presença do além. Eu desacredito acreditando. Lendo muita literatura russa clássica, principalmente Nikolai Gogol (Edgar Allan Poe russo), melhor ficar com um pé atrás.

1) O Monge Negro

Dizem alguns moscovitas que esse fantasma vive na floresta Aleshkinskii (Aleshkinskii les), perto do metrô Planernaia. Costuma ser visto no verão, quando o tempo está quente e úmido. Pelas descrições das pessoas que creem tê-lo visto, trata-se de um homem alto, com rosto azulado e pálido. Ele normalmente usa uma longa túnica preta, de onde vem o seu nome, Monge Negro. Ninguém sabe quem ele é nem o que ele está fazendo na floresta.

Atenção: para piorar o encontro, de acordo com os moradores locais, você não deve chamar a atenção do monge, pois algo ruim pode acontecer com a sua família. Aliás, não sei se uma coisa tem a ver com a outra, mas o escritor A. P. Tchekhov escreveu um romance muito misterioso chamado “O Monge Negro”, em 1893. Talvez ele tenha se inspirado no fantasma da floresta.

2) A Mãe Fatal

Essa fantasma não é um bicho do mato igual o monge, mas uma mulher que habita a rua Nikulinskaia (perto do metrô Iugo-Zapadnaia). Dizem que ela sempre aparece para alguém quem está dentro de um carro. As pessoas que já a viram sempre descrevem a mesma coisa: “Estava dirigindo, de repente, ouvi uma canção de ninar. Logo, como se fosse uma miragem, aparece em frente um jardim em que uma mulher balança um bebê no berço.” O bizarro é que durante todas as vezes que isso aconteceu, os motoristas perderam o controle e bateram seus carros.

3) Limusine de Lavrentii Pavlovich Beriia

Os moradores da rua Malaia Nikitkaia (metrô Barikadnaia) também têm suas histórias. Eles contam que algumas vezes por mês, depois da meia noite, é possível ouvir um barulho muito forte de um carro antigo chegando. Isso sem nenhum veículo por perto. Os funcionários da Embaixada da Tunísia, na mesma rua, onde antigamente ficava a residência de Lavrentii Pavlovich Beria, político soviético (com fama de estuprador e criminoso, revelada só depois do fim da URSS) que foi braço direito de Stálin, relatam que até viram um pequeno ponto de luz acompanhando esse som ao longo do trajeto. As pessoas que já vivenciaram o fenômeno contam que o ruído do carro para na frente da embaixada e você pode ouvir vozes de um homem e uma mulher conversando.

Parece que no porão do prédio da embaixada foi encontrada uma câmara de tortura durante anos 90. Ninguém duvida que ela pertencia a Lavrentii Pavlovich.

4) Gatos misteriosos

Zamoskvorechie é um bairro de Moscou que sempre teve a fama de ser mal assombrado. Os moradores locais contam histórias esquisitas sobre um bando de gatos que, à noite, atravessam paredes dos prédios com a maior facilidade.

5) O fantasma de um velho Kussovnikov

Na rua Myasnitckaia, perto da loja Chay.Kofe (metrô Chistie Prudi), há uma antiga casa que abriga o fantasma do velho Kussovnikov. Os moradores locais contam a lenda de que nessa casa viviam os comerciantes Kussovnikovi, que eram pessoas muito avarentas. Um dia, escondendo todo seu dinheiro dentro de um forno do quintal, o casal saiu. Ao retornar, descobriu que o zelador tinha queimado tudo porque não sabia que o forno servia como cofre. A esposa do Kussovnikov, quando ficou sabendo, enfartou imediatamente, e o marido, enlouqueceu.

Até os seus últimos dias ele brigou com a prefeitura, querendo trocar no banco o carvão pelo dinheiro que tinha perdido. Testemunhas do fenômeno afirmam que já viram algumas vezes um homem velho, com a roupa de dois séculos atrás, andando pela rua sem destino e sussurrando: “Dinheiro, meu dinheiro!”

6) Gato Begemot

Algumas pessoas contam que duas vezes por mês aparece um gato preto gigante na rua Tverskaia (perto do metrô Pushkinskaia). Ele ganhou o nome de Begemot, devido à famosa obra do Mikhail Bulgakov “O Mestre e Margarida”, e também tem o poder de atravessar paredes.

7) A sombra do gigante

Às vezes, nas paredes de algumas casas da esquina da rua Stretenka com o beco Dayev (perto do metrô Sukhariovskaia), aparece uma sombra enorme (que se estica até o segundo andar do prédio). Ela fica lá paradinha a noite inteira. Os moradores não descobriram até agora o dono da sombra.

8) O bibliotecário Rubakin

Você pode imaginar que tem um fantasma até na famosa biblioteca Lenina de Moscou? Algumas pessoas relatam que já ouviram passos quando estavam sozinhas na sala, outros afirmam que viram um vulto alto passando perto das prateleiras com livros. Os funcionários da biblioteca têm mais histórias em relação a isso. Eles dizem que o fantasma é de Nikolai Rubakin, um homem que doou uma grande coleção de livros. Há uma crença: quando não consegue encontrar um livro desejado, pede-se ajuda para Nikolai Rubakin.

9) O assassino da rodovia Vladimirskaia

Alguns motoristas que já passaram pela rodovia Vladimirskaia dizem que viram perto da estrada um mendigo barbudo fazendo sinal para parar o carro. Para quem parava, ele dizia: “Perdoe-me!”. A hipótese da existência desse fantasma é que ele pode pertencer ao condenado que matou mais de 100 pessoas e foi morto nesse mesmo lugar sem ser enterrado e perdoado. Aliás, essa rodovia sempre foi considerada um lugar com uma energia bem pesada, já que antigamente foi o caminho que levava todos os condenados de São Petersburgo e Moscou a pé para o aprisionamento na Sibéria.

10) Sombras brancas

Um atentado terrorista que explodiu algumas casas na rua Gurianova (perto do metrô Pechatniki) em 1999 também teve suas consequências místicas. Durante a construção de casas novas, muitos trabalhadores ouviram choros de crianças e viram sombras brancas. Os parentes das vítimas dizem que isso vai continuar até que todos os envolvidos no crime sejam castigados.

11) A carruagem Cinza

Dizem que hoje em dia ninguém mais vê esse fantasma, mas no século 19 ele aparecia para todos os suicidas da rua Ponte Kuznetskii (o antigo centro boêmio onde ficavam todos os cassinos). Cada vez que alguém saía do cassino deprimido por perder tudo e com desejo de morrer, parava uma carruagem cinza e o motorista oferecia um passeio pela cidade bem barato. Uma vez que a pessoa aceitasse o convite, nunca mais era vista.

12) Decapitados Khovanskie

Na estrada Iaroslavskoe shosse, muitas pessoas já testemunharam algumas atividades paranormais. Uma delas conta que o filho e o pai Khovanskie foram enterrados vivos (um castigo pelo crime da época) pela Tsarevna Sofia, que estava no poder na Rússia durante o século 17. Diz a lenda que até hoje eles aparecem na estrada para algumas pessoas, tiram suas cabeças do pescoço como se fosse um chapéu e pedem para ser enterrados de acordo com a tradição Cristã.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.