Isso não vai dar certo aqui

Foto: Getty Images/ Photobank.

Foto: Getty Images/ Photobank.

Conheça as ideias de negócio e segmentos bem sucedidos na Europa e EUA que ainda não podem ser desenvolvidos na Rússia.

Na Rússia, existe uma verdadeira cultura de empreendedorismo. “Veja o que funciona no exterior e faça aqui.” Esse conceito não é ruim, e os homens de negócios conseguem muitas vezes criar uma empresa de sucesso baseada em ideias postas em prática em algum lugar. Mas gostaria de falar agora sobre os motivos pelos quais isso nem sempre funciona na Rússia.

Vamos começar com o varejo on-line. Os líderes mundiais desse mercado de bilhões de dólares são Amazon e Ebay. Na Rússia, são constantes as tentativas de copiar o modelo de negócio dessas empresas. Exemplo disso é o Ozon.ru, site que alcançou considerável sucesso para os padrões de varejo on-line no país, mas, por enquanto, não se aproximou dos níveis de serviços do Amazon por causa de problemas no sistema de logística.

Problemas semelhantes foram encontrados pelo site Slando.ro, análogo russo do Ebay.  As entregas são organizadas por vários serviços de courier em grandes cidades como Moscou e São Petersburgo, mas e quanto a cidades menores? Os clientes têm que se contentar com a demorar de um mês para a entrega pelo correio tradicional ou então precisam pagar mais caro pelo frete.

Como as distâncias dentro da Rússia são enormes, ainda não se tornou rentável para as empresas criarem seus próprios serviços logísticos pelo país. O mercado também não está suficientemente madura para criar uma estrutura interligada. Assim sendo, todos os projetos de sucesso da área de varejo on-line acabam ficando restritos e direcionados para uma região específica. 

Porém, existem também os problemas de ordem psicológica. O mercado russo é conservador e seus consumidores ainda pensam como no passado. Nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo, o mercado de vendas on-line de medicamentos ganha constantemente impulso. E para os compradores desses locais, esse tipo de comércio é confortável e vantajoso: os preços on-line são geralmente mais baixos e o pedido é entregue na porta do escritório ou de casa.

Na Rússia, a venda de medicamentos pela internet é proibida pelo Estado, que vê nisso um risco muito grande para o consumidor. Mas mesmo que o governo de repente resolva permitir a venda on-line de tais produtos, os usuários não irão comprar nada mais complexo do que uma aspirina. Afinal, aprendemos que as fraudes estão em todos os lugares, e comprar medicamentos sem vê-los é desastre na certa (francamente, nem nas farmácias nós confiamos).

O mesmo tipo de problema dificulta o desenvolvimento de mercados financeiros. Nos países mais desenvolvidos, há um grupo significativo de pessoas que participam ativamente nas operações da bolsa, investindo parte da poupança em ações e fundos. Para muitos russos, as bolsas são associadas aos casinos de Las Vegas. O elevado nível de analfabetismo financeiro da população está relacionado à nossa mentalidade e ao medo de transações monetárias com risco. A evolução dos consumidores e a educação de investidores de classe média responsáveis é tarefa para muitos anos.

Por fim, outro mercado que enfrenta o conservadorismo do consumidor russo é a reserva on-line de hotéis e passagens aéreas. Muitos cidadãos russos ainda acreditam ser inaceitável pagar uma quantia considerável de dinheiro para um site por um bilhete ou hotel. Na opinião dessas pessoas, é muito mais seguro ir pessoalmente a uma agência de viagens e comprar a passagem. No entanto, as notícias frequentes de agências de viagens que estão indo à falência e de compatriotas que ficaram retidos no exterior vão gradualmente mudando o paradigma desse pensamento.

 

Leonid Frolov é cofundador da web startup Venture Street, com sede em Moscou

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.