Missão à Rússia deve gerar mais de US$ 4 mi a calçadistas

Atualmente, a Rússia é o 10º maior mercado consumidor de calçados

Atualmente, a Rússia é o 10º maior mercado consumidor de calçados

Assessoria
Evento em Moscou contou com 34 marcas de calçados brasileiras, além de representantes de associações comerciais e potenciais compradores. Apesar de queda de exportações ao país, Brasil enxerga perspectivas com retomada de crescimento econômico na Rússia.

A 5ª Missão Comercial Rússia reuniu 34 marcas brasileiras de calçados em Moscou, entre os dias 5 e 7 de junho, e resultou em 300 contatos com potenciais compradores internacionais, que devem gerar US$ 4,12 milhões em negócios, estimam os organizadores.

“A quinta missão superou as nossas expectativas em temos de números, tanto de participantes, quanto de visitantes locais”, disse Roberta Ramos, gestora de projetos da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), uma das promotoras da iniciativa.

No showroom, montado em um hotel da capital russa, as marcas brasileiras receberam mais de 70 empresas de varejo e distribuição interessadas em trabalhar com o Brasil.

“Depois de um longo período de crise, com um PIB deficitário de 4,5% em 2016, o primeiro semestre de 2017 já apresenta um superávit de 0,5%. A previsão do governo russo para 2017 é de haja um crescimento ainda de mais 1,5% até o final do ano”, disse Almir Américo, chefe do escritório da Apex-Brasil Eurásia, que organizou a missão com a Abicalçados.

A recuperação, segundo ele, ainda é lenta, pois passa por uma mudança de comportamento do consumidor, que com a crise, deixou de comprar de forma mais impulsiva, reduzindo o consumo de bens como o calçado.

No entanto, segundo Oleg Chvedok, distribuidor de calçados, a crise grou uma renovação dos agentes do mercado e uma aproximação entre varejistas e fabricantes, que até então optavam por utilizar os serviços de um distribuidor para importação, transporte e desembaraço.

“O lado bom dessa mudança é que agora o preço do calçado não é mais determinado pelo distribuidor russo, e sim pelo próprio fabricante, que fica mais competitivo para o varejo”, explicou o distribuidor.

Em 2016, os russos adquiriram 390 milhões de pares brasileiros (Foto: Assessoria)Em 2016, os russos adquiriram 390 milhões de pares brasileiros (Foto: Assessoria)

Outro fator de destaque no evento foram os negócios realizados com marca própria, que devem representar 90% do total estimado.

“O crescimento é lento, muito por conta da situação econômica. Ainda assim, só com a continuidade e a presença aqui esse crescimento mais robusto será possível”, diz Anderson Melo, gerente de exportação da marca brasileira Democrata.

A ação foi realizada em parceria entre Abicalçados, o Escritório da Apex-Brasil Eurásia, em Moscou, e a Embaixada Brasileira na Rússia.

Sinergia com mercado local

De acordo com as estatísticas do World Footwear, a Rússia é hoje o 10º maior mercado consumidor de calçados, e mais de metade dos quase 400 milhões de pares consumidos anualmente no país são importados – cerca de 80% deles da China.

Apesar de o Brasil ser o 3º maior produtor e o 15º exportador de calçados do mundo, a Rússia se mantém como o 20º principal destino do calçado nacional e responde apenas por 1,2% das exportações do produto.

No ano passado, o setor gerou US$ 999 milhões em exportação ao Brasil, com prevalência para os EUA (22,2% das receitas com exportações); Argentina (11,2%) e França (5,6%).

Em 2016, foram exportados a Moscou mais de 1 milhão de pares, que geraram US$ 11,8 milhões em divisas para o Brasil. Já no primeiro quadrimestre de 2017, foram exportados ao país 314,13 mil pares, que geraram US$ 3,6 milhões (indicando uma queda de 23,6% em termos de receita em relação ao mesmo período do ano passado).

Nos últimos anos, mesmo com a baixa nas exportações de calçados brasileiros para a Rússia, o mercado local aponta para uma maior sinergia com as fábricas brasileiras, que se mostram flexíveis para adaptar produtos às necessidades dos clientes russos.

Entre as futuras ações, por exemplo, planeja-se a gravação de um vídeo instrutivo com o processo de adaptação de calçados para atender as estações mais frias do país.

“Certamente , ainda existe um longo caminho a se percorrer. E é por isso que estamos aqui pela quinta vez consecutiva, desde 2013. Neste intervalo, aumentamos significativamente o número de empresas interessadas no potencial do mercado russo de calçados. De dez marcas, em 2013, passamos a ter 34 em 2017”, concluiu Ramos.

Além de showroom, Missão realizou seminário preparatório e evento com a imprensa local (Foto: Assessoria)Além de showroom, Missão realizou seminário preparatório e evento com a imprensa local (Foto: Assessoria)

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.