Craque do vôlei brasileiro quer tirar medalha dos atletas russos

Em 2002, o próprio Giba foi suspenso, pois no exame antidoping em suas amostras foram positivas para Canabis sativa

Em 2002, o próprio Giba foi suspenso, pois no exame antidoping em suas amostras foram positivas para Canabis sativa

AP
Giba, ex-jogador da seleção brasileira de vôlei, vai à Suíça falar sobre as conclusões do recém-divulgado relatório da Agência Mundial Antidoping; recomendações sobre suspensão da Rússia nas competições internacionais leva ex-capitão a querer discutir validade da vitória sobre o Brasil nos Jogos de Londres em 2012.

De acordo com informação veiculada pelo site Globoesporte.com, Giba, ex-jogador de vôlei da seleção brasileira, está empenhado em fazer com que a seleção russa de vôlei masculino perca a medalha de ouro que havia conquistado na Olimpíada de 2012, em Londres.

A reportagem afirma que o atleta, que entre 2007 e 2009 jogou no clube russo "Iskra", tem intenção de viajar para a Suíça a fim de discutir com a Federação Internacional de Voleibol (FIVB) as conclusões do relatório da Comissão independente da Agência Mundial Antidoping (Wada), liderada por Richard McLaren, divulgado em dezembro.

“Quero ver como está sendo realizada a verificação das declarações feitas por McLaren. De acordo com sua investigação, muitos atletas russos que conquistaram medalhas nos Jogos Olímpicos de 2012 são suspeitos de doping e, naturalmente, entre eles há alguns do voleibol. Se são sete, dez ou vinte, eu não sei", declarou Giba.

 

Representantes da FIVB comentaram a declaração do brasileiro, destacando que a organização não possui informações sobre atletas que foram flagrados nos testes antidoping durante os Jogos de Londres. Além disso, eles enfatizaram que a federação não tem direito de redistribuir as medalhas olímpicas, pois isso é função do Comitê Olímpico Internacional (COI).

Os resultados da segunda parte da investigação da Comissão independente da WADA foram divulgados em 9 de dezembro. As conclusões afirmam a adulteração em testes de doping de dois atletas russos que haviam conquistado quatro medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sôtchi. Além disso, funcionários do laboratório antidoping de Moscou foram acusados de ocultar amostras positivas, por meio da adição de sal e café a elas.

Na final do torneio de voleibol dos Jogos Olímpicos de 2012, a seleção russa de Vladímir Alekno venceu os brasileiros liderados pelo então capitão Giba.

"Giba não é mais tão famoso para arriscar fazer esse tipo de declaração”, diz Alekno, ex-treinador da seleção russa de voleibol masculino segundo a Agência de notícias TASS. “Acho que ele está imaginando coisas. Em compensação, existe a certeza de que ele já foi flagrado usando maconha, e isso foi provado. Tenho certeza de que não haverá qualquer problema com a seleção russa, então deixemos ele falar o que quiser."

Em 2002, o próprio Giba foi suspenso, pois no exame antidoping em suas amostras foram positivas para Canabis sativa (nome científico da maconha).

Com as agências de notícias

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.