Quem criou Iáchin precisa de um goleiro estrangeiro?

Guilherme mostrará a que veio em amistosos contra Letônia, em 26 de março, e França, em 29 de março.

Guilherme mostrará a que veio em amistosos contra Letônia, em 26 de março, e França, em 29 de março.

Alexander Vilf / RIA Novosti
Comentarista pesa pontos positivos e negativos após convocação do brasileiro Guilherme. Em enquete realizada por um dos maiores portais de esportes do país, o Championat.ru, 32% dos leitores consideram positiva a convocação do brasileiro - mesma porcentagem dos que afirmam, com todas as letras: "Não quero ver jogadores naturalizados na seleção".

No dia 11 de março, um acontecimento realmente histórico ocorreu no futebol russo. Pela primeira vez um estrangeiro naturalizado foi convidado para compor a seleção nacional, o goleiro Guilherme Marianato, de 30 anos.

Mineiro de Cataguases, o goleiro se transferiu para o Lokomotiv de Moscou ainda em 2007, e teve a oportunidade de se candidatar à cidadania russa, que recebeu em novembro de 2015.

É verdade que uma concorrência acirrada espera por Guilherme na seleção. Além do intocável número um do time de Ígor Akinfeev e Iúri Lodiguin, ele competirá com Stanislav Kritsiuk, goleiro de 25 anos do clube russo Krasnodar que jogava em Portugal e, pela primeira vez, foi convocado para a seleção.

Além disso, Leonid Slútski pode depositar confiança em seu pupilo, o goleiro do Spartak Artiom Rebrov, de 32 anos. O capitão Rebrov mostrou a que veio recentemente em uma partida com o CSKA.

Há ainda Serguêi Rijikov, de 35 anos, do clube Rubin, de Kazan, e um dos mais estáveis goleiros da primeira divisão.

Assim, é bastante estranha a necessidade de um jogador naturalizado justamente nessa posição.  

Por outro lado, o goleiro do Lokomotiv foi o primeiro estrangeiro a entrar para a seleção nacional, mas é bem provável que não tenha sido o último.

Além disso, a seleção poderá formar toda uma colônia brasileira. O zagueiro do CSKA Mario Fernandes também já apresentou os documentos para receber a cidadania. E outros brasileiros já expressaram o mesmo desejo: Ari, o meia Joãozinho, o volante Maurício...

O jornal Izvêstia pediu ao ex-goleiro da seleção russa, Ruslan Nigmatullin, que comentasse a situação de Guilherme, que é também seu amigo.

"Eu mesmo dei uma mão para que Guilherme fosse para o Lokomotiv. Estou feliz que ele amadurecido a esse ponto. Para isso, o Guilherme passou por um caminho longo e difícil. Em termos de qualidade, ele está totalmente apto a integrar a seleção. Apesar de, a princípio, eu não apoiar a naturalização. Precisamos formar nossos próprios jogadores. Claro, em um país que criou Lev Iáchin e Rinat Dassaev, os melhores goleiros do mundo e da Europa, a trave da seleção não deve ser defendida por um estrangeiro", disse.

Além disso, o treinador de Guilherme no Lokomotiv, Anatóli Bishovets, acredita que o goleiro ainda pode ser chamado para a seleção brasileira.

"A seleção russa precisava de um goleiro no nível do Ígor Akinfeev para substituí-lo. O capitão do CSKA está muito carregado no clube e na seleção. às vezes ele precisa de um descanso. Já o Guilherme, sob meu ponto de vista, não deixa a desejar para nenhum dos goleiros russos, e até os supera em alguns pontos. Além disso, ele não só tem um passaporte russo, ele sabe a língua, entende nossa mentalidade. No que diz respeito a erros esporádicos do goleiro do Lokomotiv, eu não daria ênfase a isso. Os erros dos goleiros são sempre mais visíceis que os dos jogadores em campo. O Guilerme é um jogador bem estável. Reconheço que até vi nele um possível goleiro para a seleção brasileira", disse Bishovets.

Com material do jornal Izvêstia e do portal Championat.com.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.